01/04/2011

Arrependimento

INTRODUÇÃO

Iremos abordar concernente ao arrependimento. Este é a base para que possamos encontrar a salvação. Quando deparamos com as Sagradas Letras em sua mensagem descrita acerca das palavras de João Batista, ao qual pregou dizendo: “arrependei-vos, pois vos é chegado o Reino de Deus”. Notaremos a importância do arrependimento, pois sem este jamais alcançaremos à salvação e o perdão divino.
João foi o ultimo dos profetas (dentro do oficio profético), foi o anjo do concerto, foi um homem ao qual Deus usou para preparar o caminho do Senhor. Com isto percebemos a base ministerial de João Batista, ao qual é, pregar arrependimento ao povo.

Arrependimento é a preparação do caminho do Senhor. Sem este, não haveria terreno preparado para o Messias. Isso enfoca a importância do arrependimento. A virtude de Elias estava sobre João para o ministério de converter os corações dos filhos de Israel, repugnar e condenar o pecado e conduzir o povo ao arrependimento, tendo por sinal externo e confissão o batismo em águas.

O chamado de João e a seqüência do projeto divino muito se caracterizam dentro das Escrituras no Livro do profeta menor Joel. Esses dois homens de Deus em muito tem em comum dentro de seu chamado ministerial. Ao depararmos no livro do profeta Joel poderemos assim enfatizar:
Primeiramente o povo rebelde e desobediente a Deus, depois o castigo com os gafanhotos em conseqüência da desobediência e apatia de Israel com Deus. Esses gafanhotos destruiriam a vinha, a oliveira, a figueira, a palmeira entre outros. Assim surge um cenário de calamidade. (essa invasão de gafanhotos definida por alguns teólogos como uma invasão literal e mais duas invasões de povos inimigos, porém a ênfase que estamos propondo não é objetivar historicamente seus significados, mas extrair lições e verdades que são modelos para o ministério de João Batista).

ANALISE E APLICAÇÃO PARA OS NOSSOS DIAS DA DEVASTAÇÃO DOS GAFANHOTOS

A VINHA
Analisando os gafanhotos destruir a vinha de Israel – tomamos por lição de forma devocional, analítica e comparativa que os “gafanhotos” espirituais (demônios) têm destruído a vinha de muitas igrejas.
Vinha produz uvas ao qual faz vinho, e que é símbolo da alegria do Espírito, logo muitos perderam a alegria do Espírito Santo em sua vida devido aos ataques dos “gafanhotos”.
A OLIVEIRA
Serve para produzir azeitona, e esta era usada para fazer algumas coisas nos tempos bíblicos, e dentre essas coisas era usada para ungir e simbolizava a unção. Os “gafanhotos” têm tirado a unção de muitos em nossos dias atuais.
A FIGUEIRA
Jesus não encontrou fruto em uma figueira e amaldiçoou – a figueira é símbolo de frutos e de prosperidade. Muitos “gafanhotos” estão destruindo os frutos bons (as obras) de muitos crentes e os tornando estéreis, e também estão destruindo a prosperidade de muitos servos (as) de Deus.
A PALMEIRA
No livro de Cantares encontramos uma figura da Palmeira, e esta, está na estatura da mulher e ligada ao matrimonio e a intimidade sexual. Com isso podemos entender a Palmeiras como símbolo de matrimonio e intimidade sexual, logo os “gafanhotos” tem destruído matrimônios e desmoralizado a vida sexual dos humanos.
RESTITUIREI OS ANOS PERDIDOS PELOS GAFANHOTOS
Essa restituição dependia de um profundo arrependimento, e como descreve o Livro de Joel: “se os sacerdotes chorarem no altar”, aprendemos que o altar é lugar de lágrimas, e não de disputas e gladiadores. Se o povo de Deus chorasse e clamasse, e então se arrependesse – Deus restituiria os anos perdidos pelos gafanhotos.

TOCAI A TROMBETA EM SIÃO
Joel deveria tocar a trombeta em Sião, no monte da santidade de Deus.
Tocar trombeta descreve em anunciar, pois estas eram usadas para anunciar.
Sião e monte da santidade implica em como anunciar, pois sem santidade ninguém verá o Senhor.
Devemos anunciar em santidade, não em contenda ou avareza, mas em santificação.
Anunciar o que?
O arrependimento, pois é através deste que haverá a restituição dos anos perdidos pelos gafanhotos.
Tocar trombeta prefigura o Evangelho pregado a todas as nações, pois somente através deste é que o arrependimento surge nos corações, e assim as almas serão salvas e terão as suas vidas restituídas por Deus. E os anos perdidos pelos “gafanhotos espirituais” (demônios) quando éramos servos do pecado, seremos restituídos por anos de paz e alegria na presença do Senhor.

ANALOGIA
Se houver profundo arrependimento – haverá uma restituição, isto é devolução daquilo que foi perdido pelos “gafanhotos”. Isto é, restituirá a alegria (vinha), a unção (oliveira), as obras boas e a prosperidade (figueira), o matrimonio e pureza sexual (palmeira). Enfim os campos assolados serão restaurados, graças ao arrependimento que gerou a restituição divina.

Assim como Joel profetizou e pregou arrependimento e santidade para que o povo pudesse ter uma restituição. João Batista também profetizou e pregou arrependimento e santidade para que o povo pudesse ter uma restituição, que é a salvação de Cristo.
Assim como Joel preparou o caminho para restituição e transformação da situação em que estava o povo, assim João Batista preparou o caminho do Senhor para restituição e transformação de vida e de bênçãos para o povo.

DERRAMAREI DO MEU ESPIRITO

Essa promessa escatológica que se inicia no pentecoste e cumpre-se no milênio. Enfatiza a manifestação gloriosa de Deus.

Joel profetiza dizendo que há de ser que depois, derramarei meu Espírito sobre toda carne.

Depois de que?
Depois de restituir os anos perdidos pelos gafanhotos.
E como se acontecerá a restituição?
Se o povo se arrepender.
E como que o povo irá se arrepender?

Se tocar a trombeta no monte da santidade de Deus.

Anuncia arrependimento e santidade – o povo se arrepende – então Deus restitui os anos de calamidade – e depois derrama o Espírito Santo sobre toda a carne.

O derramar do Espírito Santo ocorrerá nas vidas daqueles que foram restituídos pelo Senhor.

DERRAMAR ESPIRITO SANTO NO PENTECOSTE

Inicio dessa manifestação de glória que terá seu cumprimento total no milênio.

João Batista pregou arrependimento e santidade – os que se arrependeram foram preparados para receber o Senhor Jesus e com Ele veio a restituição. E os anos perdidos pelos demônios (gafanhotos) que governam o mundo, foram trocados pela vida abundante em Cristo. E depois que foram restituídos então, receberam o derramamento do Espírito Santo no dia de pentecostes.

DERRAMAR DO ESPIRITO SANTO NO MILENIO

Este será o cumprimento total de Joel 2.28.

Todos os moradores do milênio estarão com suas vidas restituídas e receberão o derramamento do Espírito Santo.

Os gafanhotos (demônios) estarão amarrados durante todo milênio, que corresponde a mil anos.

Assim se seguirá conforme o livro de Joel e em João Batista:
Na Grande Tribulação as duas testemunhas pregarão o amor de Deus e o arrependimento que é a base para aceitação de Cristo, pregará em santidade – haverá ao findar da grande tribulação um clamor da parte de Israel, o Espírito de suplica virá da parte de Deus e então eles reconhecerão Jesus como Messias e o clamarão para pelejar por eles quando a nação ímpia seduzidas pelo diabo vier contra Israel – após esse arrependimento o Senhor virá com a Igreja das bodas do Cordeiro e defenderá Israel e restituirá os anos perdidos devido à dureza do coração dos israelitas – Israel será restituído e purificado – e depois haverá o milênio com o derramamento do Espírito Santo sobre toda a carne.

A IGREJA EM SUA TRAJETÓRIA NA HISTÓRIA

Nos percurso da Igreja na terra vemos muitos homens como Joel e João Batista, pregando arrependimento e santidade.

Os que antecederam o pentencostalismo pregaram santidade, arrependimento (movimento de santidade) e restituição da saúde (movimento de curas divinas) e assim o povo foi sendo restituído da perdição dos demônios (gafanhotos) que havia apostatado muitas igrejas e lideres. Depois veio o derramar do Espírito (na escola bíblica de Pahan inicou esse derramar em uma mulher, e depois se consolidou na famosa Rua Azuza).

A IGREJA NA ATUALIDADE
Muitos tem se apostatado da fé e estão frios e apáticos. Resultados das obras satânicas (gafanhotos).
Esses gafanhotos espirituais estão destruindo muitas vidas, mas ainda existem muitos que pregam arrependimento e santidade.

E muitos estão se arrependendo e sendo restituídos por Deus das percas ocasionadas pelas trevas.

Enquanto houver restituídos poderá haver avivamento.

Oremos por um poderoso avivamento divino!

Oremos para expulsão dos gafanhotos de nossas igrejas, ministérios.

Louvado seja Deus!

Talvez alguém pense: Os gafanhotos no Livro de Joel, eles eram exércitos de Deus para punir o povo de Israel?

Recordo-me que Deus usa até os demônios para executar seus desígnios, isto é, permite que o mau ataque com finalidade de atingir os propósitos determinados por Deus.

Deus não faz mal e não amaldiçoa, mas permite o mal e a maldição vindo do maligno nos alcançar.

Por quê?

Porque assim seremos punidos pelas desobediências.

As pragas são exemplos disso, a tentação de satanás após o milênio para provar os fiéis do milênio será exemplo disso.

O espírito de mentira na boca dos profetas ao serem consultados pelo rei, que foi permissivo por Deus, são exemplos de que Deus permite a mal como forma punitiva.

Embora existam casos que o mal nos vem como forma de Deus agradar de nossa fidelidade – como é o caso de Jó.


OS TRES ELEMENTOS DO ARREPENDIMENTO

1) elemento intelectual do arrependimento:

O pecado é reconhecido –
O homem ver a sua situação diante de Deus, percebe sua rebelião e entende em si mesmo sua diferença com Deus, este homem reconhece sua posição contrária à santidade divina e percebe que Deus abomina seu estado e condições, e ainda, primariamente percebe e se relaciona com o fato de que seus pecados ofendem a Deus, não há primariamente um temor das conseqüências eternas do pecado, embora essa exista, mas há um profundo entendimento da ofensa cometida contra Deus ao pecar.

2) elemento emocional do arrependimento:

O pecado é lamentado e aborrecido-

Acontece um fato até temático e interessante, pois ocorre a tristeza que traz alegria e salvação, isto é, a tristeza divina entra no arrependimento; e o homem si vê a si mesmo diante de Deus, e é trazido a lamentar seu pecado e aborrecê-lo.

O homem após ter reconhecido seu pecado e passado pelo elemento intelectual do arrependimento, e conhecendo seu estado e ofensa, passa a sentir profunda dor na alma por desonrar e desobedecer a Deus, este também sente uma profunda tristeza oriunda de Deus, esta é uma ação do Espírito Santo.
Ao findar os bodas do cordeiro – a Igreja estará no céu louvando ao Deus Vivo e a Cristo o Senhor, quando na terra haverá um grande clamor e uma grande súplica da parte de Israel, esta será providenciada pelo Espírito, provinda da parte de Deus.
haverá um arrependimento da parte de Israel e o reconhecimento de Cristo como Senhor, as nações virão contra os israelita, mas Jesus juntamente com a Igreja virá triunfantemente contra os inimigos de Israel.

Nessa época e nesse arrependimento dos israelitas, haverá uma grande ênfase do segundo elemento do arrependimento, a saber, o elemento emocional.

3) elemento voluntário ou volitivo do arrependimento:

O pecado é abandonado –
Não há arrependimento completo se não haver abandono completo de ações as quais foram contristada e reconhecida como ofensa a Deus. Essa deserção consiste em uma intima mudança interna que gera mudanças externas de conduta.
O Filho pródigo se arrependeu e disse: “voltar-me-ei para o meu pai”
Ele reconheceu seu estado (elemento intelectual), profundamente se lamentou (elemento emocional) e então agiu voltando voluntariamente ao pai (elemento volitivo ou voluntário).
Na volta da casa do pai, o filho pródigo estava em terra distante e isso indica que ele fez uma caminhada até a casa do pai,
conjectura = ele caminhava de volta a casa do pai e o diabo dizia: “você pecou contra o seu pai, ele vai te aceitar e nem lhe querer”, mas creio que o Espírito Santo também dizia: “Vai porque o pai está te esperando”

Aleluia!
Que possamos sempre voltar para presença de Deus!
Autor: Diorgeton Almeida.

Um comentário:

  1. Paz do Sr. Amado.

    Estive lendo seus post são ricos.

    www.pitante.blogspot.com

    ResponderExcluir

A boca fala do que está cheio o coração.