21/10/2011

JESUS CRISTO DE "A" a "Z"

Jesus Cristo em Apocalipse 1.8

Ele é o Alfa e o Ómega.

Transliterando para o nosso alfabeto fica assim:

Jesus de “A”a “Z”

A-Advogado Fiel (1 Jo 2.1)
B-Bom Pastor (Jo 10.11)
C-Cabeça da Igreja (Ef 1.22)-
D-Deus Forte (Is 9.6)
E-Emanuel (Mt 1.23)
F-Filho de Deus (Lc 1.35)
G-Guia (Mt 2.6)
H-Herdeiro de Deus (Hb 1.2)
I-Imagem de Deus (2 Co 4.4)
J-Justiça Nossa (Dt 32.36)
L-Luz do Mundo (Jo 12.46)
M-Maravilhoso (Is 9.6)
N-Nazareno (Mc 1.9)
O-Onipotente (Fp 2.9-11)- Onisciente (1 Jo 3.20)- Onipresente (Hb 4.13)
P-Pastor e Bispo das almas (1 Pe 2.25)
Q-Quarto homem da fornalha de fogo ardente de sua vida (Dn 3.25)
R-Restaurador (Is 58.12) – Restituidor (Jl 2.25) - Raiz de Jessé (Rm 15.12) – Raiz de Davi (Ap 5.5)
S-Santo, Santo, Santo (Is 6.3) – Salvador (At 5.31; 2 Tm 1.10; Jd 25)
T-Todo-Poderoso (Gn 17.1)
U-Unigênito de Deus (Jo 3.16)
V-Verbo de Deus (Jo 1.1,14)
X – Ele é o “X” da equação divina, qualquer que seja o seu problema ele resolverá! (problemas solucionados em Lucas 15: ovelha achada, dracma encontrada e filho perdido que voltou para a casa do seu pai)
Z – Zeloso (Ex 20.5-6)

Autor: Pr.Alek Sandro Dias.

30/09/2011

Autoridade Espiritual do Cristão

Introdução
Temos uma autoridade da qual não temos conhecimento, ou que não descobrimos, e de que não estamos nos utilizando?

Ou será que vez por outra, temos lampejos de autoridade espiritual, mas tropeçamos nela e a exercitamos sem sabermos exatamente o que estamos fazendo? A luz da Bíblia vamos descobrir, de que nós, como igreja, temos uma autoridade na terra, que já nos foi dada. E da qual Deus quer que utilizemos para defender e estender seu Reino.

1. O que é autoridade?
Autoridade é poder delegado.

Sendo assim, autoridade espiritual é o poder nos dado pelo próprio Deus.

Em Lucas 10:19, Jesus diz: “ Eis que vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo, e nada absolutamente vos causará dano”.

Quando menciona “serpentes e escorpiões”, Jesus está falando do poder do diabo (demônios, espíritos malignos e todas as suas hostes).

Precisamos tomar consciência de que temos autoridade sobre eles!

O valor da nossa autoridade repousa no poder de Deus. Ou seja, o próprio Deus é o poder por trás dessa autoridade.

Exemplo:

Os policiais que comandam o tráfego nas horas de maior movimento nas ruas, apenas erguem o braço e os carros param. Estes homens não têm o poder físico para parar os veículos, mas não é de sua própria força que eles se utilizam para parar o tráfego, eles são fortes na autoridade que lhes é concedida pelo governo a que servem. As pessoas reconhecem essa autoridade e param seus carros.

Bendito seja o Senhor, há uma autoridade que nos é delegada pelo Senhor Jesus!!

Paulo em sua carta aos Efésios, diz para eles serem fortes no Senhor e na força de seu poder (Ef.6:19). O cristão que compreende de forma plena que o poder de Deus é a seu favor, pode exercitar sua autoridade e enfrentar o inimigo destemidamente.

2. A Fonte de Nossa Autoridade
Em Mateus 28:18 diz: “Jesus, aproximando-se, falou-lhes dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”.

Em Efésios 1:18-23 nos mostra que a fonte da nossa autoridade está na ressurreição e exaltação de Cristo por Deus. Cristo está assentado à direita do Pai (lugar de autoridade), e quando subiu aos céus, transferiu sua autoridade à igreja. A autoridade de Cristo foi perpetuada através do seu corpo (igreja) que está sobre a terra. (Efésios 2:1-7)

Assim como Ef 1:20 expressa a ressurreição de Cristo dentre os mortos, Ef.2:1 expressa a ressurreição do seu povo. Em outras palavras: o ato de Deus que levantou a Cristo dentre os mortos, também levantou a seu corpo (a igreja).

Então se fomos ressuscitados em Cristo, também fomos assentados com Ele nos lugares celestiais acima de principados e potestades.

Somos um com Cristo (Co 6:17), estamos sentados à destra de Deus nas alturas!

Se nós como igreja obtivermos a revelação de quem somos em Cristo, nos ergueremos e faremos as obras de Cristo, pois a autoridade que pertence a Cristo, também pertence aos membros individuais do corpo de Cristo.

3. Por que devemos exercitar nossa autoridade?
Vemos em Efésios 6.12 que “a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim, contra principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”.

Portanto vemos neste versículo que:

a) Estamos engajados em uma guerra
b) Nosso inimigo é Satanás e seus demônios
Isso nos mostra que, quer você queira ou não, estamos em uma guerra e não há como ignorar isso ou se fingir de morto. Portanto devemos nos posicionar e exercitar nossa autoridade nestas batalhas. O problema é que “cremos” que somente certas pessoas têm poder. Mas isso não é verdade, veja Marcos 16:15-18.

Jesus disse que aqueles sinais descritos no versículo seguirão aquele que CRER. Qualquer um, basta crer, ou seja, você precisa acreditar e confiar na autoridade que Cristo lhe deu. E isso só acontece quando a exercitamos. Precisamos exercitar a fé para crescer espiritualmente. A fé está envolvida no exercício da autoridade espiritual.

Então, quando devemos exercitar nossa autoridade?

Agora, quando há coisas que nos prejudicam e nos destroem.

Os cristãos têm autoridade sobre o diabo, podem anular seu poder, se este se manifestar em qualquer área de suas vidas ou das vidas de seus amados.

Isso não significa, entretanto, que devemos sair às ruas expulsando o diabo de todos que encontrarmos. Significa, primeiramente, que devemos exercer essa autoridade sobre o diabo em nossas próprias vidas.

Até aqui vimos que precisamos exercitar nossa autoridade por que;

a) Estamos em guerra
b) Precisamos crescer espiritualmente
c) Precisamos usá-la primeiramente em nossas vidas
Como podemos exercitar autoridade sobre nossas próprias vidas?

Precisamos entender que temos autoridade sobre nossa própria casa. A Autoridade Espiritual é muito semelhante à autoridade natural. Isso significa que não devemos deixar o inimigo fazer arruaça dentro dos nossos lares.

Exemplo: você não tem autoridade sobre o dinheiro de outra pessoa, não pode dizer a ela o que fazer com o dinheiro, a menos que a pessoa lhe dê permissão para isso.

Paulo disse em efésios 4:27: “Não deis lugar ao diabo”.

Isso quer dizer que você não deve dar nenhum lugar ao diabo em sua vida. Ele não tem poder para ocupar nenhum lugar, a menos que você lhe dê permissão.

Por isso devemos tomar cuidado, com que entra em nossos lares, seja através de objetos, por meio da televisão ou por palavras ditas em casa. Isso vale para qualquer área de nossas vidas, seja, trabalho, ministério, etc.

Sempre que houver algo errado devemos parar e avaliar a situação, se for oposição do diabo e seus demônios, exercite sua autoridade!

Quanto ao ministério, se for um ministério nos lares por exemplo, vale lembrar que, temos autoridade sobre nosso próprio lar, mas nossa autoridade sobre o lar de outra pessoa é limitada. Isso porque, podemos orar naquele lar e fazer com que o diabo desista de algumas de suas manobras na vida daquelas pessoas, mas não podemos impedir que ele retorne com novas estratégias, se os donos da casa abrem as portas para ele entrar.

Por isso o trabalho da igreja é ensinar as pessoas através da Palavra, e levá-las a uma transformação de vida.

4. Como podemos perder a autoridade
Como vimos, perdemos nossa autoridade quando damos lugar ao diabo.

Em 1 Pedro 5.8 diz: “Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar”.

Ou seja, o diabo sempre está procurando brechas em nossas vidas para minar nossa autoridade sobre ele. Por isso precisamos sempre estar em comunhão com Deus, numa vida de santidade, e dentro da Palavra.

5. As armas da nossa batalha
O cristão deve sempre estar com sua armadura espiritual. Efésios 6.10-11 diz: “No demais irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo”.

O Espírito Santo orou através de Paulo, para que os olhos das pessoas fossem abertos no sentido de que tomassem conhecimento desta provisão que foi feita para sua própria segurança. A armadura espiritual é descrita em Efésios 6:10-17.

As diferentes partes desta armadura simbolizam as diversas atitudes espirituais que o cristão deve manter. Usando esta armadura, o cristão está protegido em seu ministério de autoridade. Toda sua preocupação deve ser a de manter a sua armadura brilhando e bem firme.

Em primeiro lugar, há um cinturão da verdade que representa uma compreensão clara da Palavra de Deus. Assim como o cinto de um soldado, é ele que mantém o resto da armadura em seu lugar.

Em segundo vem a couraça da justiça. Esta tem dupla aplicação: Jesus é a nossa justiça, e nós O colocamos à nossa frente. Também mostra nossa obediência à Palavra de Deus.

Terceiro, nossos pés estão calçados com a preparação do evangelho da Paz. Esta é uma atuação fiel na proclamação da Palavra de Deus.

Quarto, o escudo da fé. Um escudo é uma cobertura para o corpo inteiro. Representa nossa total segurança sob o sangue de Cristo, onde nenhum poder do inimigo pode penetrar.

Quinto, o capacete da salvação, mencionado em 1 Ts 5:8 como a esperança da salvação. A esperança da salvação é o único capacete capaz de proteger a cabeça nestes dias de desvirtuamento da verdade. Sexto, a espada do Espírito que é a Palavra de Deus. Isto mostra que a Palavra de Deus deve ser usada ofensivamente. As outras armas são especialmente defensivas, mas a espada é uma arma ativa.

Sendo assim vemos que, estamos preparados para a batalha da oração, quando estamos usando a armadura. 6. Autoridade sobre espíritos demoníacos e não sobre a vontade humana

Embora tenhamos autoridade sobre espíritos demoníacos, não temos autoridade sobre nossos semelhantes, nem sobre sua vontade.

Temos autoridade sobre demônios até onde diz respeito as nossas vidas e às vidas de nossos familiares. Mas nem sempre podemos controlá-los quando a vida de outras pessoas está envolvida, porque a vontade dessas pessoas entra em ação.

O livre arbítrio prevalece. Se as pessoas querem viver em pecado, elas podem. Se querem ser livres, podem ser livres. Mas, enquanto elas mesmas não quiserem ser livres, nem Jesus, nem ninguém pode libertá-las, pois elas têm autoridade sobre suas próprias vidas.

Quando porém as pessoas querem ajuda, a questão se torna bem diferente.

Agora vamos dar atenção para um ponto muito importante.

Até aqui, sabemos pela Palavra de Deus que temos autoridade espiritual, mas você não exerce autoridade simplesmente por você mesmo, dependemos do Espírito Santo como ajudante no exercício desta autoridade.

Se tentarmos lidar com espíritos sem a Palavra de Deus ou discernimento espiritual, seremos fracassados. A Bíblia diz, com relação ao ministério de Jesus, que Ele expulsava demônios com sua palavra e com o Espírito de Deus. Leia o capítulo 12 de Mateus. Os fariseus estavam acusando a Jesus de expulsar demônios por Belzebu, o príncipe dos demônios (v.24). Jesus respondeu: “...se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, é conseguintemente chegado a vós o Reino de Deus” (v.28).

Você tão somente terá vitória sobre o diabo num combate, quando tiver uma base da Palavra de Deus e estiver agindo de acordo com o Espírito Santo. O Espírito de Deus sabe como orar, é ele o autor da oração.

Temos que depender do Espírito Santo para sabermos quando os demônios estão presentes e como lidar com eles. Ficamos impotentes sem a Palavra e o Espírito Santo.

Não seja uma pessoa apenas da Palavra, sem o Espírito, e também, não seja uma pessoa apenas do Espírito sem a Palavra.

Muitos tentam agir de acordo com a Palavra, sem o Espírito Santo. Você tem que ter ambos, pois eles se completam.

Fonte: HAGIN, Kenneth E.

20/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.43-48

VERSÍCULO:E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de hemorragia e gastara tudo o que tinha com os médicos; mas ninguém pudera curá-la. Ela chegou por trás dele, tocou na borda de seu manto, e imediatamente cessou sua hemorragia. “Quem tocou em mim?”,perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: “Mestre, a multidão se aglomera e te comprime”. Mas Jesus disse: “Alguém tocou em mim; eu sei que de mim saiu poder”. Então a mulher, vendo que não conseguiria passar despercebida, veio tremendo e prostrou-se aos seus pés. Na presença de todo o povo contou por que tinha tocado nele e como fora instantaneamente curada. Então ele lhe disse: “Filha, a sua fé a curou! Vá em paz”.(Lc 8:43-48)

PENSAMENTO:Qualquer outro rabino teria ficado furioso ao saber que uma mulher com fluxo de sangue o havia tocado. Ele ficaria"contaminado", teria que se lavar, lavar sua roupa e ficaria impuro até a noite. Entretanto, com Jesus aconteceu o inesperado. Ele não ficou impuro, mas curou a mulher da sua impureza. Por que Jesus quis expor abertamente o que acontecera com ela? Por que ela não podia simplesmente ir embora curada? Chamando a atenção de todo mundo para o fato que ela fora curada, Jesus a libertou do estigma de ter que viver às margens da sociedade. Chegando perto de Jesus ela foi restaurada à comunhão com as pessoas ao seu redor. Você conhece alguém que vive afastado ou excluido? Pode ser por causa de doença, reputação ou outro estigma que o isole. O que Deus quer é,por meio de contato com Jesus, restaurar todos os seus filhos à grande família que ele criou para nós. Às vezes, para realizar uma obra dessas, o único milagre que Deus precisa é o amor de Jesus operando dentro de pessoas como eu e você.
Fonte:www.hermeneutica.com.br

19/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.40-46

VERSÍCULO:Quando Jesus voltou, uma multidão o recebeu com alegria, pois todos o esperavam. Então um homem chamado Jairo, dirigente da sinagoga, veio e prostrou-se aos pés de Jesus, implorando-lhe que fosse à sua casa porque sua única filha, de cerca de doze anos,estava à morte. Estando Jesus a caminho, a multidão o comprimia. E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de hemorragia e gastara tudo o que tinha com os médicos; mas ninguém pudera curá-la. Ela chegou por trás dele, tocou na borda de seu manto, e imediatamente cessou sua hemorragia. “Quem tocou em mim?”,perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: “Mestre, a multidão se aglomera e te comprime”. Mas Jesus disse: “Alguém tocou em mim; eu sei que de mim saiu poder”.(Lc 8:40-46)

PENSAMENTO:Esta mulher vivia numa situação de impureza constante. De acordo com a lei, ninguém podia tocar nela, senão a pessoa se tornava impura (Lev 15:25-31). Em doze anos ninguém conseguiu curá-la. Ela devia sentir profunda vergonha e desespero. Ninguém queria chegar perto e ninguém podia ajudá-la. Isso talvez explica porque ela chegou sorrateiramente para ver se tocando em Jesus ela podia ser curada. Jesus parou a multidão e perguntou quem havia o tocado porque aquele toque fora diferente. Não foi uma pessoa qualquer encostando. Foi o toque do desespero e de profunda necessidade e Jesus sentiu isso. O intuito de Jesus não era de envergonhá-la, mas de ajudá-la pessoalmente. Isso é uma boa notícia para pessoas como aquela mãe temendo a notícia do médico de que talvez ela esteja com AIDS. Isso é boa nova para aquele rapaz lutando com desejos dos quais ele sente profunda vergonha. Isso é o Evangelho para todas as pessoas que aguardam na fila das causas perdidas da vida. Jesus veio aqui especialmente para você. Ele pára tudo só por causa de você. E basta você crer nele que poder sairá do trono de Deus para lhe ajudar. Confie em Jesus e não tenha medo de chegar perto dele.É por isso que ele fica tão perto de nós.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

18/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.30-39

VERSÍCULO:Jesus lhe perguntou: “Qual é o seu nome?”“Legião”, respondeu ele; porque muitos demônios haviam entrado nele. E imploravam-lhe que não os mandasse para o Abismo. Uma grande manada de porcos estava pastando naquela colina. Os demônios imploraram a Jesus que lhes permitisse entrar neles, e Jesus lhes deu permissão. Saindo do homem, os demônios entraram nos porcos, e toda a manada atirou-se precipício abaixo em direção ao lago e se afogou. Vendo o que acontecera, os que cuidavam dos porcos fugiram e contaram esses fatos, na cidade e nos campos, e o povo foi ver o que havia acontecido. Quando se aproximaram de Jesus, viram que o homem de quem haviam saído os demônios estava assentado aos pés de Jesus,vestido e em perfeito juízo, e ficaram com medo. Os que o tinham visto contaram ao povo como o endemoninhado fora curado. Então,todo o povo da região dos gerasenos suplicou a Jesus que se retirasse, porque estavam dominados pelo medo. Ele entrou no barco e regressou. O homem de quem haviam saído os demônios suplicava-lhe que o deixasse ir com ele; mas Jesus o mandou embora, dizendo:“Volte para casa e conte o quanto Deus lhe fez”. Assim, o homem se foi e anunciou na cidade inteira o quanto Jesus tinha feito por ele.(Lc 8:30-39)

PENSAMENTO:Primeiro Jesus pediu que o homem dissesse seu nome. Depois, que ele contasse o que Deus havia feito em sua vida. Cada pessoa que deixar Jesus operar em sua vida terá uma trajetória semelhante.Começa com aquilo que o pecado fez em sua vida. Termina com o que Deus fez por você. Como o apóstolo Paulo, você talvez terá que contar quem você era, o que fazia e quão longe de Deus havia chegado. Mas, depois você contará a maravilhosa transformação -tudo que Deus fez para mudar sua história. Quando foi a última vez que você contou o que Deus lhe fez? Estudar a Bíblia com pessoas,pregar da própria Palavra de Deus são coisas muito boas e necessárias. Mas, algumas das partes mais poderosas da Bíblia são as histórias de homens e mulheres como eu e você, e o que Deus fezem nossas vidas. Volte para casa, vá lá para sua turma, chegue para seus colegas e conte o quanto Deus lhe fez. Talvez você não faça idéia do quanto Jesus vai fazer ainda com você e a sua história.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

17/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.26-30

VERSÍCULO:Navegaram para a região dos gerasenos, que fica do outro lado do lago, frente à Galiléia. Quando Jesus pisou em terra, foi ao encontro dele um endemoninhado daquela cidade. Fazia muito tempo que aquele homem não usava roupas, nem vivia em casa alguma, mas nos sepulcros. Quando viu Jesus, gritou, prostrou-se aos seus pés e disse em alta voz: “Que queres comigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te que não me atormentes!” Pois Jesus havia ordenado que o espírito imundo saísse daquele homem. Muitas vezes ele tinha se apoderado dele. Mesmo com os pés e as mãos acorrentados e entregue aos cuidados de guardas, quebrava as correntes, e era levado pelo demônio a lugares solitários. Jesus lhe perguntou: “Qual é o seu nome?”“Legião”, respondeu ele; porque muitos demônios haviam entrado nele. (Lc 8:26-30)

PENSAMENTO:Os discípulos enfrentaram na tempestade no lago uma força muito maior que eles. Semelhantemente, este homem estava perdendo uma luta contra forças superiores - uma tropa de demônios. A palavra legião era usada para seis mil soldados romanos. Aqui não significa tanto este número exato quanto um número muito superior às condições deste homem solitário. Maria Madalena foi curada de sete demônios (Lc 8:2). Não sabemos ao certo porque Jesus perguntou o nome, mas sua pergunta revelou o estado deplorável em que o homem se encontrava. Jesus sabe o nome de cada tentação, de cada fraqueza, de cada força do mal que nos atormenta. E por maior que seja, nenhum deles resiste ao poder do Filho de Deus. Seja qual fora sua luta, chame o nome de Jesus para lhe ajudar. Ele não precisa atravessar um lago para chegar onde você está. Ele já está bem perto, só esperando o seu chamado.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

16/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.24-25

VERSÍCULO:Os discípulos foram acordá-lo, clamando: “Mestre, Mestre, vamos morrer!” Ele se levantou e repreendeu o vento e a violência das águas; tudo se acalmou e ficou tranqüilo. “Onde está a sua fé?”,perguntou ele aos seus discípulos. Amedrontados e admirados, eles perguntaram uns aos outros: “Quem é este que até aos ventos e às águas dá ordens, e eles lhe obedecem?”(Lc 8:24-25)

PENSAMENTO:Boa pergunta que Jesus fez: "Onde está a sua fé?" Será que a fé dos discípulos estava na estrutura do barco ou na segurança do bom tempo para a travessia do lago? Será que estava na habilidade dos pescadores para conduzir o barco num vendaval? Se foi nestas coisas, então já se foi. Sentir medo ou tomar um susto com algo inesperado nesta vida não é pecado. Não significa que não cremos em Jesus. Mas, pode revelar a nós que temos confiado mais em outras coisas do que no Senhor. Talvez é por isso que ele deixa as tempestades e vendavais chegarem. Max Lucado anotou as palavras de um homem passando por uma tempestade que observou: "Você jamais saberá que Jesus é tudo de que você precisa até Jesus ser tudo oque você tem". Quando a tempestade bater, vamos fazer o que os discípulos fizeram - vamos até Jesus. Quanto mais próximo você estiver dele hoje, mais perto estará na hora do vendaval. Procure ele hoje - ele está bem perto de você.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

15/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.22-23

VERSÍCULO:Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado do lago”. Eles entraram num barco e partiram. Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre o lago um forte vendaval,de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam grande perigo. (Lc 8:22-23)

PENSAMENTO:Quando Jesus chamou os discípulos para irem para o outro lado do lago, dificilmente eles imaginaram que logo estariam correndo perigo. Mas, com Jesus há sempre o inesperado. Para Jesus dizer"vamos para o outro lado do lago" é tão fácil quanto falar "vamos pregar o Evangelho naquela parada de ônibus", ou "vamos aprender lingüística e dedicar dez anos traduzindo a Bíblia numa tribo na África”. Jesus é imprevisível e nos chama para o imprevisto.Contudo, a palavra comum a todas as frases é a mais importante:"vamos". Jesus não manda - ele chama para ir com Ele. Seja para onde for que ele chamar, Jesus sempre vai junto. Temos que lembrar isso a cada passo do caminho. Jesus está conosco. E se Jesus vai conosco, o que estamos esperando? Vamos!
Fonte: www.hermeneutica.com.br

14/08/2011

Pais de Oração

Aquela hora em oração Quando George casou e começou a criar filhos, decidiu investir uma hora por dia em oração por eles. Com o tempo ele começou a orar pela fé de seus netos e bisnetos. Cada dia ele passava uma hora em oração pelos filhos e pelas próximas gerações da sua família. Escute o resultado: As duas filhas de George se converteram e se casaram com homens que entraram no ministério Cristão em tempo integral. As quatro netas de George se casaram com pregadores e seu neto se tornou pastor. Os primeiros dois bisnetos, entraram na faculdade juntos.Um deles entrou no ministério Cristão, e o outro não.Talvez George tenha ficado um pouco desapontado com este neto. Mas, depois ele entendeu melhor os desígnios de Deus. Aquele segundo neto se formou em Psicologia e começou a escrever livros para orientar pais na criação de seus filhos. Com o tempo ele começou a falar no rádio e seus livros ajudaram cada vez mais pais Cristãos. O nome daquele bisneto de George é James Dobson, autor de diversos livros sobre casamento e a criação de filhos.É um dos autores Cristãos mais influentes da atualidade. Por meio da perseverança diária nas suas orações, George teve um impacto nas vidas não só dos seus filhos, mas, de netos e bisnetos, e por meio deles nas vidas de milhares de famílias e de várias gerações de Cristãos. Pais, como é seu tempo de oração pelos seus filhos?Quanta diferença será que uma hora por dia em oração faria pelos seus? Aquela hora que você gasta surfando na Internet, assistindo jornal ou novela –vai valer quanto depois?Se você mudasse aquele horário e usasse para oração, você sabe a diferença que faria?

Fonte:De Dennis Downing da pregação “Pais de Oração”.

Reflexão Bíblica em Marcos 4.28-29

VERSÍCULO:“A terra por si própria produz o grão: primeiro o talo, depois a espiga e, então, o grão cheio na espiga. Logo que o grão fica maduro, o homem lhe passa a foice, porque chegou a colheita”.(Mc 4:28-29)

PENSAMENTO:Convidamos e chamamos e às vezes parece que ninguém responde.Falamos do Evangelho para amigos e colegas e parece que ninguém quer saber. Mas, a força não está em nós - está em Deus e no poder do Evangelho. Como Paulo disse, o Evangelho é "o poder de Deus para a salvação" (Rom 1:16). É este poder que opera nos corações e nas mentes das pessoas, onde não vemos e de forma que não compreendemos. Mas, de repente, um dia aquela pessoa aparece num culto da igreja ou chega e faz uma pergunta sobre a Bíblia. E comum pouco mais de tempo você tem um novo irmão ou uma nova irmã em Cristo. Como foi que aconteceu? Você só sabe que foi Deus. Você pode olhar para trás e entender todos os passos da sua conversão?Ninguém consegue. Confie em Deus. Ele está operando. Ele vai fazer maravilhas nas vidas das pessoas próximas a você. Não foi Ele que lhe colocou próximo a elas? Faça sua parte com aqueles convites e palavras de encorajamento. Um versículo hoje, um pouco do seu testemunho pessoal outro dia. Embora você não veja, Deus está operando. Um dia você verá a grande safra de almas resgatadas que Ele está levantando. Ore por aquele dia.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

13/08/2011

10 Verdades que Pregamos sobre 10 Mentiras que Praticamos

Certo pastor estava buscando levar a igreja à prática da comunhão e da devoção experimentadas pela igreja primitiva (conforme descrita em Atos dos Apóstolos). Logo recebeu um comunicado de seus superiores: “Estamos preocupados com a forma como você vem conduzindo seu trabalho ministerial. Você foi designado para tomar conta dessa igreja e a fez retroceder, pelo menos, uns 40 anos! O quê está acontecendo?”. O pastor respondeu: “40 anos? Pois então lamento muitíssimo! Minha intenção era fazê-la retroceder uns 2.000!”.

Atualmente temos acompanhado um retrocesso da vivência e prática cristãs. Mas, infelizmente, não é um retrocesso como o da introdução acima. Algumas das verdades cristãs têm sido negadas na prática. Como diz Caio Fábio, muitos de nós somos “crentes teóricos, entretanto, ateus práticos”. Segue-se uma pequena lista dos top 10 das verdades que pregamos (na teoria) acerca das mentiras que vivemos (na prática):

I - “SÓ JESUS SALVA” é o que dizemos crer. Mas o que ouvimos dizer é que só é salvo, salvo mesmo, quem é freqüente à igreja, quem dá o dízimo direitinho, quem toma a santa ceia, quem ganha almas para Jesus, quem fala língua estranha, quem tem unção, quem tem poder, quem é batizado, quem se livrou de todo vício, quem está com a vida no altar (seja lá o que isso signifique), quem fez o Encontro, etc e etc. Resumindo: em nosso conceito de salvação, só é salvo aquele que não me escandaliza.

II - “DIANTE DE DEUS, TODOS OS PECADOS SÃO IGUAIS” é o que dizemos crer. Mas, diante da igreja, o único pecado é fazer sexo fora do casamento. Quando um irmão é pego em adultério, é comum ouvirmos o comentário: “O irmão fulano caiu...”. Ou seja, adultério é visto como uma “queda”. Mas a fofoca que leva a notícia do adultério de ouvido a ouvido é permitida (embora, na Bíblia haja mais referências ao mexeriqueiro do que ao adúltero). Estar com o nome ‘sujo’ no SPC é permitido, embora a Bíblia condene o endividamento. Ser glutão é permitido, a ‘panelinha’ é permitida, sonegar imposto de renda é permitido (embora seja mentira e roubo), comprar produto pirata é permitido (embora seja crime) construir igreja em terreno público é permitido (embora seja invasão).

III - “AUTOFLAGELAÇÃO É SACRIFÍCIO DE TOLO”, é o que dizemos crer. Condenamos o sujeito que faz procissão de joelhos, que sobe escadarias para pagar promessas. Ainda assim praticamos um masoquismo espiritual que se expõe em frases do tipo: “Chora que Deus responde”; “a hora em que seu estômago está doendo mais é a hora em que Deus está recebendo seu jejum”; “quando for orar de madrugada, tem que sair da cama quentinha e ir para o chão gelado”; “tem que pagar o preço”.

IV - “ESPÍRITO DE ADIVINHAÇÃO É DIABÓLICO” é o que dizemos crer, mas vivemos praticando isso nas igrejas, dentro dos templos e durante os cultos!
- Olha só a cara do pastor. Deve ter brigado com a esposa.

- A irmã Fulana não tomou a ceia. Deve estar em pecado.

- Olha o irmão no boteco. Deve estar bebendo...

- Olha só o jeito que a irmã ora. É só para se amostrar...

- Olha a irmã lá pegando carona no carro do irmão. Hum, aí tem...

V - “DEUS USA QUEM ELE QUER” é o que dizemos. Mas também dizemos: Deus não pode usar quem está em pecado; Deus não usa ‘vaso sujo’; “Como é que Deus vai usar uma pessoa cheia de maquiagem, parecendo uma prostituta?”.

VI - “DEUS ABOMINA A IDOLATRIA” dizemos. Mas esquecemos que idolatria é tudo o que se torna o objeto principal de nossa preocupação, lealdade, serviço ou prazer. Como renda, bens, futebol, sexo ou qualquer outra coisa. A questão é: quem ou o quê regula o meu comportamento? Deus ou um substituto? Há até muitas esposas, por exemplo, que oram pela conversão do marido ao ponto disso tornoar-se numa obsessão idolátrica: “Tenho que servir bem a Deus, para ele converter meu marido”; “Não posso deixar de ir a igreja senão Deus não salva meu marido”; “Preciso orar pelo meu marido, jejuar pelo meu marido, fazer campanhas pelo meu marido, deixar de pecar pelo meu marido”. Ou seja, a conversão do marido tornou-se o objetivo final e Deus apenas o meio para alcançar esse objetivo. E isso também é idolatria.

VII - A BÍBLIA É A ÚNICA REGRA DE FÉ E PRÁTICA CRISTÃS

...Eu sei que a Bíblia diz, mas o Estatuto da Igreja rege...

... Eu sei que a Bíblia diz, mas nossa denominação não entende assim

... Eu sei que a Bíblia diz, mas a profeta revelou que é assim que tem que ser

... Eu sei que a Bíblia diz, mas o homem de Deus teve um sonho...

...Eu sei que a Bíblia diz, mas isso é coisa do passado...

VIII - DEUS ME DEU ESTA BENÇÃO!

...mas eu paguei o preço.

...mas eu fiz por onde merece-la.

...mas não posso dividir com você porque posso estar interferindo na vontade de Deus. Vai que Ele não quer que você tenha... Se você quiser, pague o preço como eu paguei.

IX - NÃO SE DEVE JULGAR PELAS APARENCIAS. AS APARENCIAS ENGANAM – mas frequentemente nos deixamos levar por elas para emitirmos nossos juízos acerca dos outros. Julgamos pela roupa, pelo corte de cabelo, pelo tamanho da saia, pelo tipo de maquiagem (ou a falta dela), pelo jeito de andar, de falar, pelo aperto de mão, pela procedência. Frequentemente, repito: frequentemente falamos ou ouvimos alguém falar: “Nossa! Como você é diferente do que eu imaginava. Minha primeira impressão era de que você era outro tipo de pessoa”.

X - A SANTIFICAÇÃO É UM PROCESSO DE DENTRO PARA FORA (é o que dizemos) – na prática não basta ser santo, tem que parecer santo. Se a tal ‘santificação’ não se manifestar logo em um comportamento pré-estabelecido, num jeito de falar, andar, vestir e de se comportar é porque o sujeito não se ‘converteu de verdade’

Por Alessandro Mendonça

Fonte: Gosto de Ler

Reflexão Bíblica em Marcos 4.26-27

VERSÍCULO:"Ele prosseguiu dizendo: “O Reino de Deus é semelhante a um homem que lança a semente sobre a terra. Noite e dia, estando ele dormindo ou acordado, a semente germina e cresce, embora ele não saiba como."(Mc 4:26-27)

PENSAMENTO:Esta parábola tem semelhanças com a do Semeador. A diferença é que agora acompanhamos o crescimento da semente. Um homem pode compartilhar sua fé com um colega de trabalho. Uma mulher estuda a Bíblia com sua vizinha. Mas, como aquela semente do Evangelho vai crescer é um mistério. É fora do controle do semeador. Como a pessoa responde e reage não cabe a nós. Isso não é a nossa parte. Não quer dizer que somos indiferentes. Mas, temos que reconhecer que nossa parte no processo é limitada. Que façamos bem a nossa parte, plantando tanta semente quanto pudermos. Vamos plantar com carinho e muita oração. Mas, no final das contas, o crescimento fica entre Deus e a pessoa que recebeu o Evangelho.
Fonte:www.hermeneutica.com.br

12/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.19-21

VERSÍCULO:A mãe e os irmãos de Jesus foram vê-lo, mas não conseguiam aproximar-se dele, por causa da multidão. Alguém lhe disse: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem ver-te”. Ele lhe respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a praticam”.(Lc 8:19-21)

PENSAMENTO:Quando Jesus era jovem ele obedeceu seus pais. Mesmo sabendo que seu lugar era na casa do Pai Celestial, ele se submeteu aos pais terrestres que Deus lhe deu (2:49). Assim, mesmo como jovem ele praticou o que Deus ordenou. Agora, Jesus é adulto e precisa cumprir a missão que está diante dele como homem. E, como bom filho de seu Pai, ele deixa claro para todos que assim desejam ser, que há uma só condição que cabe a nós para sermos filhos de Deus -viver o que Deus nos ensinou. É por isso que precisamos considerar tão atentamente o que ouvimos de Deus. Ele oferece perdão pelos nossos pecados, o Espírito Santo para habitar em nós, uma nova família na igreja, dons espirituais e tantas bênçãos que são verdadeiramente incontáveis. Mas, uma coisa cabe a nós - decidir colocar o que recebemos em prática. Cabe a nós obedecer. Se você quer ser um bom filho de seu Pai também, não há nada melhor do que isso - obedeça a Ele.
Fonte:www.hermeneutica.com.br

11/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.18

VERSÍCULO:“Portanto, considerem atentamente como vocês estão ouvindo. A quem tiver, mais lhe será dado; de quem não tiver, até o que pensa que tem lhe será tirado”.(Lc 8:18)

PENSAMENTO:Que injustiça! Dar para aqueles que já têm e tirar daqueles que pouco possuem? É Jesus falando estas palavras? O paradoxo da passagem se explica pela primeira e pela última frase. O ponto todo é a valorização do que Jesus oferece. É por isso que ele disse em versículo 8 - prestem atenção ("Aquele que tem ouvidos para ouvir,ouça!"). Aqueles que "têm" são aqueles que recebem o que Jesus oferece - o Evangelho e todos os dons e bênçãos do Reino. Quando acreditamos em Jesus e obedecemos a Ele nós recebemos incontáveis bênçãos. Quem tem ouvidos terá estas coisas. Eles receberão mais porque Deus ainda tem muito mais para nós que cremos nEle. O segundo grupo é composto do tipo de pessoa "que pensa que tem". O que ele "tem" pode ser bens materiais, auto suficiência, ou confiança em suas obras ou conhecimento. Ele pensa que aquilo que possui tem valor, mas não tem. Nada disso salvará. Nada disso durará. Tudo aquilo será perdido, tirado. Por isso vamos considerar atentamente como ouvimos. Se "damos" ouvidos para Jesus"receberemos" de volta vida em abundância. Você já considerou como está ouvindo e a quem está realmente dando ouvidos?
Fonte:www.hermeneutica.com.br

10/08/2011

Você é uma Cenoura,Ovo ou Café?

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela..
Já não sabia mais o que fazer e queria desistir.
Estava cansada de lutar e combater.
Parecia que assim que um problema estava resolvido um outro surgia.
Seu pai, um "chef", levou-a até a cozinha.
Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto.Logo as panelas começaram a ferver.Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e, na última pó de café.Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra..
A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo.Cerca de vinte minutos depois, ele apagou o fogo.Pescou as cenouras e as colocou em uma tigela.Retirou os ovos e os colocou em outra tigela.
Então pegou o café com uma concha e o colocou em uma chicara.
Virando-se para ela, perguntou "Querida, o que você está vendo ?" "Cenouras, ovos e café," ela respondeu.Ele então pediu-lhe para experimentar as cenouras.
Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias.O Pai pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.
Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura.Finalmente, seu pai lhe pediu que tomasse um gole do café.Ela sorriu ao provar o café e aspirar seu aroma delicioso.
Humildemente ela perguntou a seu pai : "O que isto significa ?"
Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, água fervendo, mas que cada um reagira de maneira diferente.
A cenoura entrara forte, firme e inflexível.
Mas depois de ter sido submetida à água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil.
Os ovos eram frágeis.Sua casca fina havia protegido o líquido interior.
Mas depois de terem sido colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rigido.O pó de café, contudo, era incomparável.
Depois que fora colocado na água fervente, ele havia mudado a água. "Qual deles é você?" ele perguntou a sua filha. "Quando a adversidade bate a sua porta, como você responde ? Você é uma cenoura, um ovo ou um pó de café?"
E você?
Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e a adversidade você murcha e se torna frágil e perde sua força ?
Será que você é como o ovo, que começa com um coração maleável ?
Você teria um espírito maleável, mas depois de alguma morte, uma falência, um divórcio ou uma demissão, você se tornou mais difícil e duro ?
Sua casca parece a mesma, mas você está mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito inflexíveis ?
Ou será que você é como o pó de café ?
Ele muda a água fervente, a coisa que está trazendo a dor, para conseguir o máximo de seu sabor vai ao limite da adversidade.
Quanto mais quente estiver a água, mais gostoso se torna o café.
Se você é como o pó de café, quando as coisas se tornam piores, você se torna melhor e faz com que as coisas em torno de você também se tornem melhores.
Como você lida com a adversidade ?
Você é uma cenoura, um ovo ou café ?

Fonte: http://www.idagospel.com

Reflexão Bíblica em Lucas 8.17

VERSÍCULO:"Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz."(Lc 8:17)

PENSAMENTO:Um dia tudo que é feito em segredo será revelado. Atitudes.Pensamentos. Desejos. Tudo. Não haverá mais como esconder qualquer pecado ou vício. Escondemos elas das pessoas ao nosso redor.Podemos até escondê-las de nós mesmos. Podemos pensar na pequenez do nosso juízo que somos "bons" o suficiente e que iremos para o céu porque não bebemos, nem usamos drogas, nem cometemos adultério ou qualquer outro pecado predileto. Mas, "não há nada oculto que não venha a ser revelado". Um dia todos verão. Tudo. Haverão muitas surpresas no dia de julgamento. Por isso é melhor nos aproximarmos de Jesus hoje, deixando a luz revelar o que tem que sair das nossas vidas. Com a ajuda de Jesus vamos reconhecer nossos pecados. Vamos enfrentar os esconderijos do inimigo. Vamos expulsar as forças do maligno que buscam abrigo em nossas vidas. E quando vier a Luz naquele dia e for revelado tudo que há em nós, serão também reveladas as boas obras escondidas, o serviço e ministério ocultos- tudo feito apenas para Deus. Porém, um dia todos irão conhecer.Que dia glorioso será!
Fonte:www.hermeneutica.com.br

09/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.16

VERSÍCULO:“Ninguém acende uma candeia e a esconde num jarro ou a coloca debaixo de uma cama. Ao contrário, coloca-a num lugar apropriado,de modo que os que entram possam ver a luz.”(Lc 8:16)

PENSAMENTO:Às vezes Jesus diz coisas que parecem contraditórias. Ele condena os fariseus porque chamam atenção para suas orações e jejuns. Quando o discípulo ora deve ser em seu quarto com a porta fechada para ninguém ver. Quando dá esmolas, a mão esquerda não deve saber o que faz a direita. Se neste versículo o Cristão é como uma candeia, ele não deveria se esconder e evitar chamar atenção para si mesmo? A verdade é que muitas vezes Jesus estava ensinando contra extremos. Se de um lado há Cristãos que tentam chamar atenção para si, por outro há discípulos que parecem querer esconder seu relacionamento com Jesus. Ser Cristão é ser diferente.Pela natureza deste mundo, o Cristão não pode esconder sua diferença. Se ele fizer isso é porque está negando a Jesus. Quem não veste a camisa não é do time de Jesus. Quem veste a camisa se torna alvo mais fácil do inimigo. Mas, só assim é que podemos levar outros ao verdadeiro Vencedor. Voltando à figura que Jesus usou, só quando nossa luz é vista é que os perdidos podem enxergar o caminho da salvação. Viver assim pode lhe expor hoje ao inimigo , mas amanhã lhe levará à presença do Rei.
Fonte:www.hermeneutica.com.br

08/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.9-10

VERSÍCULO:Seus discípulos perguntaram-lhe o que significava aquela parábola. Ele disse: “A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino de Deus, mas aos outros falo por parábolas, para que “‘vendo, não vejam; e ouvindo, não entendam’."(Lc 8:9-10)

PENSAMENTO:Numa expressão idiomática da época, Jesus acabou de exclamar à grande multidão "Prestem atenção!". Mas, quem veio perguntar o significado? Apenas os discípulos. Jesus usou parábolas justamente para estimular a curiosidade e provocar uma reação. Mas, onde o interesse não existe, onde a reação é um bocejo, os mistérios do Reino continuarão escondidos. É Porque Deus não quer revelá-los?Não. Porque o homem não tem interesse em buscá-los. Os homens que viram tanto cansam de olhar, e os que pensam que já ouviram tudo cansam de escutar. Não é que Deus não se importa com os homens,mas, que os homens não se importam com Deus. Talvez é porque estamos vendo e ouvindo demais - das fontes erradas. Será que é por isso que aquele tempo com Deus com os olhos fechados em silêncio faz tanta diferença? Será que é por isso que quando separamos aquele tempo todo dia começamos a ver e ouvir coisas que nem percebemos antes? Começamos a entender coisas que não faziam o menor sentido. Não é porque Deus estava escondendo as respostas,mas, porque nós não estávamos escutando quando Ele falava. Fale com seu Pai hoje - e depois escute. Ele responderá. Se demorar para ouvir ou enxergar a resposta, tenha paciência. Ele já teve muita com você. E vale a pena o que você descobrirá.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

07/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.15

VERSÍCULO:"Outra (parte da semente) ainda caiu em boa terra. Cresceu e deu boa colheita, a cem por um”. Tendo dito isso, exclamou: “Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça!”... Mas as que caíram em boa terra são os que, com coração bom e generoso, ouvem a palavra, a retêm e dão fruto, com perseverança."(Lc 8.15)

PENSAMENTO:Como é que uma semente pode produzir a cem por um? Você já conheceu um Cristão que foi usado por Deus na conversão de cem pessoas? Existem alguns evangelistas e pregadores super dotados.Mas, isso pode acontecer na vida de qualquer um? Pode. Se um Cristão se deixar ser usado por Deus ao longo de sua vida, ele pode ensinar dez que se convertem; e se estes dez apenas ensinam mais nove que se convertem, já chegará a 100 em duas gerações. Mesmo sem cálculos matemáticos, eu conheço famílias de Cristãos que ao longo de algumas gerações foram usadas por Deus para converter centenas.Imagine a importância da primeira conversão naquela cadeia divina.Cada um de nós tem o potencial de ser usado por Deus na conversão de cem ou mais. Mas, temos que perseverar. Temos que continuar semeando o Evangelho, porque é o Evangelho que converte. É Deus que dá o crescimento. Será que tem uma colheita a cem por um só esperando você falar com seu colega ou vizinho?
Fonte:www.hermeneutica.com.br

06/08/2011

A Bíblia e a Reencarnação

Por M.Martins

A Segurança da Bíblia: Consideremos essas palavras de Allan Kardec: "No cristianismo encontram-se todas as verdades" (O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. VI, item 5). A Bíblia sempre foi a única base doutrinária e regra de fé e conduta dos verdadeiros cristãos. Em 2ª Timóteo 3.16 está escrito: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça".

Jesus Cristo, tido pelo Kardecismo como a segunda revelação de Deus aos homens (Moisés seria a primeira), afirmou a solidez e a inspiração plenária da Bíblia. Em João 17.17, orando ao Pai, Ele diz: "A tua palavra é a verdade" (cf. Salmo 119.160). Quando tentado, sempre usando a expressão "está escrito", Ele respondeu citando o texto de Deuteronômio 8.3: "Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus" (Mateus 4.4). Em Mateus 24.35 diz: "Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão". Ele sempre usou a Bíblia para ensinar, redargüir, corrigir ou instruir em justiça.

Aos saduceus, que não criam na ressurreição, Jesus respondeu: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus" (Mateus 22.29). Jesus ainda nos manda examinar as Escrituras, pois são elas que testificam da Sua obra redentora: "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida" (João 5.39-40).

Na parábola do rico e de Lázaro (Lucas 16.19-31), Jesus mais uma vez demonstra a Sua convicção nas Escrituras ao narrar a resposta dada pelo patriarca Abraão ao rico, quando este, no Sheol-Hades (inferno), lhe pedira que enviasse Lázaro aos seus irmãos: "Respondeu Abraão: Eles têm Moisés e os Profetas; ouçam-nos" (versículo 29). Jesus reporta-se a Moisés e aos Profetas para nos informar que nenhuma outra forma de revelação poderia ser apresentada aos homens (inclusive a mediúnica), pois, por meio de ambos, foi-nos dada a verdadeira revelação – a Bíblia.

O Que a Bíblia diz Sobre Reencarnação? O Minidicionário Aurélio conceitua o verbo Reencarnar da seguinte forma: "1. Reassumir (o espírito) a forma material. 2. Tornar a encarnar". Ao contrário da ressurreição, que é a volta do espírito ao mesmo corpo, a reencarnação significa o retorno do espírito a um novo corpo, sucessivamente, até alcançar a evolução.

Na verdade, a não ser por meio de uma exegese forçada, não há na Bíblia qualquer referência direta ou indireta à reencarnação. Ao contrário, as Escrituras ensinam que, da mesma maneira como Jesus veio ao mundo uma só vez, também ao homem está ordenado morrer uma única vez: "E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação" (Hebreus 9.27). O sacrifício único de Jesus, ao morrer na cruz, é mais que suficiente para nos libertar dos pecados e nos conduzir a Deus: "Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito" (1 Pedro 3.18).

Todo o ensinamento bíblico é no sentido de que só poderemos morrer uma única vez até o juízo final de Deus. Jesus não somente ressuscitou três dias após Sua morte, como também incluiu a ressurreição entre os Seus milagres (João 11.11-44). Diversas outras passagens da Bíblia demonstram a realidade da ressurreição (Daniel 12.2; Isaías 26.19; Oséias 6.2; 1 Coríntios 15.21-22; João 5.28-29; Atos 24.15; Apocalipse 20.6). Em todos esses textos, ressuscitar significa o retorno do espírito ao seu próprio corpo (ver também 1 Coríntios 15.12-22).

Então, se não Existe Reencarnação, o que Faço Para ser Salvo? A resposta está em Atos 16.31: "...Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e tua casa". Somente através da nossa fé, pura e incondicional, é que obteremos a salvação, mediante Jesus Cristo. Ele mesmo disse: "Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá" (João 11.25). Não há outro caminho e nenhuma outra verdade além desta (veja João 14.6). Não adianta esperar uma outra existência, pois esta é a única oportunidade. Jesus, somente Ele, é quem nos dá a vida eterna: "Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão" (João 10.28). Então, busque hoje mesmo a Jesus Cristo, entregue-Lhe seu coração e Ele o ouvirá: "Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo" (Romanos 10.13).

Fonte: Chamada

Reflexão Bíblica em Lucas 8.7,14

VERSÍCULO:"Outra parte (da semente) caiu entre espinhos, que cresceram com ela e sufocaram as plantas... As que caíram entre espinhos são os que ouvem, mas, ao seguirem seu caminho, são sufocados pelas preocupações, pelas riquezas e pelos prazeres desta vida, e não amadurecem.”(Lc 8:7,14)

PENSAMENTO:Contas a pagar. Filhos para criar. Pais ou outros amados para cuidar. Estudo, trabalho, lazer e namoro. Há tantas ocupações e preocupações. Até aqueles que se dedicam "tempo integral" a servira Deus começam a sentir dificuldade em arrumar um tempo só para se alimentar da Palavra. O conflito entre o urgente e o importante talvez tenha aumentado em nossa época. Mas, já existia nos dias de Jesus. Como Eugene Peterson observou "Todas as águas no oceano não podem afundar um navio, a não ser que consigam entrar nele. E todas as preocupações do mundo não podem nos destruir, a não ser que as deixemos entrar em nossos corações." Se você encher seu coração coma Palavra de Deus, as outras coisas da vida vão encontrar seu devido lugar. Analise a sua agenda e separe o tempo hoje que você vai dedicar à Palavra de Deus diariamente. Faça isso HOJE. Priorize a Palavra de Deus hoje, pois ela renderá frutos eternos amanhã.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

05/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.6,13

VERSÍCULO:Parte (da semente) caiu sobre pedras e, quando germinou, as plantas secaram, porque não havia umidade... As que caíram sobre as pedras são os que recebem a palavra com alegria quando a ouvem, mas não têm raiz. Crêem durante algum tempo, mas desistem na hora da provação."(Lc 8:6,13)

PENSAMENTO:O grande problema com as promessas de prosperidade e cura pregadas por alguns é que Cristão também enfrenta perdas e sofrimento. Homens de Deus são perseguidos, como João Batista e Estêvão. São injustiçados e perdem os bens. No décimo primeiro capítulo da carta aos Hebreus lemos a longa lista dos heróis da fé.A prova da presença de Deus em suas vidas não foi a sua prosperidade ou saúde, mas a sua fidelidade a Deus no meio de perseguição, privação e perda. Isso foi o fruto da fé que Deus lhes deu e que souberam valorizar acima de bens e até da vida. Vamos nos alegrar quando recebemos a Palavra da Vida. Mas, maior alegria ainda nos aguarda quando a vida que ela nos traz se revela eterna.Creia em Jesus e não desista, nunca!
Fonte:www.hermeneutica.com.br

04/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 8.1-5,11-12

VERSÍCULO:Reunindo-se uma grande multidão e vindo a Jesus gente de várias cidades, ele contou esta parábola: “O semeador saiu a semear.Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram... Este é o significado da parábola: A semente é a palavra de Deus. As que caíram à beira do caminho são os que ouvem, e então vem o Diabo e tira a palavra do seu coração, para que não creiam e não sejam salvos.”(Lc 8:1-5, 11-12)

PENSAMENTO:Jesus ensinou a existência de um adversário pessoal. Aqui em 8:12 é o diabo. Em 10:18 é satanás. Seja qual for seu nome, há uma força maléfica atuando entre nós querendo nossa destruição. Jesus não explica seu modo de agir, mas é claro nestas palavras que nosso inimigo busca anular ou tirar o Evangelho de nossos corações. A terra à beira do caminho é batida, seca. Ela não é cultivada nem trabalhada. Alguns ouvem a palavra até de perto e durante anos.Outros, como Félix, só querem ouvir quando é conveniente (Atos 24:25). O defeito fatal de ambos é que não cultivam nem alimentam a presença de Deus em suas vidas. Eles serão desculpados pelo fato de haver um inimigo atuando? Como, se a própria Palavra nos alerta? Se você escuta a Palavra e começa a guardá-la você já quebra a vantagem do inimigo. Como podemos guardar a palavra de Deus contra as investidas do inimigo? Em todos os sentidos da palavra.Valorizando, cuidando e praticando. Se você fizer assim, não há força no universo que tire a Palavra de Deus da sua vida, nem você das mãos seguras do Pai.
Fonte:www.hermeneutica.com.br

03/08/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 7.50

VERSÍCULO:Jesus disse à mulher: “Sua fé a salvou; vá em paz”.(Lc 7:50)

PENSAMENTO:No final das contas, diante de Jesus só há duas opções. Ou você critica e lança dúvida e mais dúvida; ou você crê e se humilha em arrependimento. Todas as outras pessoas que questionaram ou duvidaram de Jesus naquela hora voltaram para casa com seus pecados ainda pesando na balança eterna. A mulher que compreendeu que Jesus não só podia, mas queria perdoar, saiu de lá literalmente uma nova criatura. Ela entrou na casa de Simão como uma pecadora entre"santos". Ela saiu daquela casa como a única santa entre pecadores.Santificada e perdoada. Não é isso que nós queremos de Jesus? É isso que Ele quer nos dar. O que é que nos impede de receber?
Fonte: www.hermeneutica.com.br

02/08/2011

Vencendo o Medo

II Timóteo 1.7
“Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.”

INTRODUÇÃO

 Vencendo está no gerúndio, que é uma forma nominal do verbo que indica uma ação que está em andamento, algo que não está completo. Isso reafirma a ideia de que é preciso vencer o medo diariamente, é um processo que precisa estar em andamento continuamente.

 Na sociedade atual enfrentamos uma epidemia de insegurança. Muitas pessoas são inseguras e se sentem mal a respeito de si mesmas, o que rouba a sua alegria e causa problemas graves em todos os seus relacionamentos. Essa insegurança é gerada pelo MEDO de não ser aceita.

 Afirma-se que o medo é um dos maiores inimigos do homem.

 O medo está por trás do fracasso, da doença e das relações humanas desagradáveis.

 Milhões de pessoas têm medo do passado, do futuro, da velhice, da loucura e da morte.

 Um menino pode ficar paralisado pelo medo quando imagina que há um homem mau debaixo de sua cama e que vai levá-lo. Quando o pai acende a luz e mostra-lhe que não há ninguém, ele se liberta do medo. O medo na mente do menino foi tão real como se houvesse de fato um homem debaixo de sua cama. Ele se curou de um pensamento falso em sua mente. A coisa que temia, na verdade, não existia. Da mesma forma, a maioria dos seus medos não têm base na realidade. Constitui apenas um conglomerado de sombras sinistras e as sombras não têm realidade.

 HOJE meu desejo é que como o pai acende a luz do quarto do filho e mostra-lhe que não havia motivo para ter medo, que a LUZ da PALAVRA DE DEUS se acenda em seu coração, mostrando-lhe que não há porque temer, se o PAI CELESTIAL está com você.


I - DEFINIÇÃO DE MEDO:

1. Estado emocional resultante da consciência de perigo ou de ameaças reais, hipotéticas ou imaginárias = FOBIA, PAVOR, TERROR.

2. Ausência de coragem (ex.: medo de altura) = RECEIO, TEMOR .

3. Preocupação com determinado fato ou com determinada possibilidade (ex.: tenho medo de ser abandonado) = APREENSÃO, RECEIO.

II – CONSEQUÊNCIAS DO MEDO

1. O medo pode provocar reações físicas como descarga de hormônios do estresse (adrenalina, cortisol) que provoca aceleração cardíaca e tremor preparando o indivíduo para lutar ou fugir.

2. A resposta anterior ao medo é conhecida por ansiedade. A palavra de Deus nos diz: “Lancemos sobre Deus a nossa ansiedade, pois ELE tem cuidado de nós!” (I Pe 5.7)

III – O MEDO É FÉ NO QUE SATANÁS DIZ

1. Precisamos nos lembrar de que não apenas Deus fala conosco, mas Satanás também. Ele é um mentiroso. João 8.44 – “... ele foi homicida desde o princípio, e não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.”

2. Quando acreditamos nas mentiras de Satanás somos enganados abrindo a porta para que ele opere em nossas vidas.

3. Ele coloca pensamentos que não são verdadeiros em nossas mentes, mas que podem tornar-se reais se acreditarmos neles.

A Bíblia diz que será feito conosco conforme a nossa fé. Mateus 9.29 - “Tocou então os olhos deles dizendo: Seja-vos feito segundo a vossa fé.” (Cura de dois cegos e um mudo.) Esse princípio funciona tanto no sentido positivo quanto no negativo. Podemos receber algo pelo medo, da mesma maneira que receberemos pela fé.

IV - É PRECISO VENCER O MEDO:

1. DO PASSADO – Por causa de erros cometidos no passado, pessoas tendem a viver uma vida de derrota.

“O Senhor lança os nossos pecados no mar do esquecimento” (Mq 7.19)

“Maldições familiares”: casamentos desfeitos, fracassos financeiros, mortes precoces, histórico de doenças, filhos rebeldes, prostituição, etc... não podem assombrar a vida daquele que é nova criatura em Cristo.

Diz a Palavra do Senhor: I João 4.18 – “No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.”

RAABE (destruição de Jericó) – Raabe tinha motivos para temer. Talvez ela fosse esquecida por causa de seu passado de prostituição. E se aqueles homens não cumprissem o combinado com ela. Mas ela preferiu CRER no melhor e não no pior e foi livre da morte com seus familiares.

(O passado ficou para trás. Somos novas criaturas. Eis que tudo se fez novo.) (II Co 5.17)

Hebreus 11.31 – “Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias.”

Josué 6.17 – “... a cidade será anátema (maldita) ao Senhor, ela e tudo quanto houver nela: somente a prostituta Raabe viverá, ela e todos os que com ela estiverem em casa; porquanto escondeu os mensageiros que enviamos.”

CANÇÃO DO MINISTÉRIO DIANTE DO TRONO

Se o inimigo vem me acusar,
com o meu passado quer me condenar,
em Sua Palavra eu confiarei,
em Seu perdão me refugiarei.
Porque antes eu era perdido e pecador
mas o Seu amor a mim conquistou.
Porque antes eu era escravo do pecado,
Mas o Seu perdão me libertou.
Eu sou livre!!!!!!!!!!!

2. DO FUTURO – Trecho da canção “NÃO TEMEREI”
Dúvidas podem até surgir em meu coração:
O que serei? Como será o amanhã?
Mas não posso duvidar
De que o Senhor já preparou um lugar
De honra pra mim
A quem temerei, se comigo o Senhor está?
O que temerei?
Pois com Ele ao meu lado
Eu sempre serei vencedor!
EU NÃO TEMEREI!
(Ministério Missão e Voz - Leandro Ferreira de Souza)

Dez dos doze espias que Moisés enviou para espiarem a terra de Canaã tiveram medo do FUTURO. Deus havia prometido aquela terra a seu povo, mas os espias temeram e disseram: “Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.” (Nm 13.31)
O fim da história conhecemos, somente Josué e Calebe entraram na terra prometida. Os que duvidaram, os que tiveram medo, perderam a bênção.

3. DE TOMAR DECISÃO – Em Lucas 19 lemos a respeito da parábola dos dez servos e das dez minas. Aqueles que decidiram investir e conseguiram multiplicar dinheiro foram recompensados, mas o que se acovardou, o que teve medo de tomar a decisão de investir e guardou o dinheiro, até o que tinha lhe foi tirado. Perdeu a bênção. Vejamos o versículo: Lucas 19. 20 e 21 – “E veio outro, dizendo: Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço. Porque tive medo de ti, que és homem rigoroso, que tomas o que não puseste, e segas o que não semeaste”

19. 24 – “E disse aos que estavam com ele: Tirai-lhe a mina e dai-a ao que tem dez minas.”

CANÇÃO – “Não temas quando, enfim, tiveres que tomar decisão, entrega tudo a mim, confia de todo o coração! É meu, somente meu, todo trabalho e o seu trabalho é descansar em mim.”

4. DA OPINIÃO DOS OUTROS – Jeremias tinha medo de ser rejeitado e reprovado pelas pessoas. Deus precisou corrigi-lo. Em Jeremias 1. 5 a 8 o Senhor lhe disse: “Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei: às nações te dei por profeta. Então disse eu: Ah! Senhor Jeová! Eis que não sei falar; porque sou uma criança. Mas o Senhor me disse: Não digas: Eu sou uma criança; porque aonde quer que eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar dirás. Não temas diante deles; porque eu sou contigo para te livrar, diz o Senhor.”

- Jeremias temia as críticas que recebia. Mas apesar da falta de popularidade e dos ataques que sofria, ele entregou fielmente a Palavra de Deus à nação de Judá.

- Jeremias não era perfeito e tinha problemas como nós. Mas Deus não olhou as suas imperfeições e, sim, o seu coração.

- Deus encontrou em Jeremias os dois ingredientes fundamentais:

 Fé;

 Desejo de agradar a Deus.

CONCLUSÃO

 Se você ainda tem medo de atender ao chamado de Deus, lembre-se de Elias, cuja fama espalhou-se como grande profeta de Deus, mas que também teve MEDO, depressão e vontade de desistir.

 Depois da grande vitória sobre os profetas de Baal, ele teve medo de uma mulher, JESABEL. Mas Deus o sustentou. Corvos levaram-lhe comida e suas forças foram refeitas e ele cumpriu a vontade de Deus.

Tiago 5.17-18 – “Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e por três anos e seis meses não choveu. E orou, de novo, e o céu deu chuva, e a terra fez germinar seus frutos.”

 O Senhor quer deixar claro nesta noite que, mesmo diante das nossas imperfeições, nós podemos orar, pedir, clamar que ELE nos ouvirá. Ele quer usar você, ele quer lançar fora todo o medo do seu coração que o tem impedido de ouvir a voz de Deus.

APELO:

 Não tenha medo de servir a Deus.

 Não tenha medo de dizer sim para Jesus.

 Tenha medo, sim, de viver a eternidade longe DELE!

Canção: Pela fé
"Quando parece ser o final, Deus dá um novo começo"

A CRIANÇA E O FARMACÊUTICO

Dono de uma bem sucedida farmácia numa cidade do interior, João não acreditava na existência de Deus ou de qualquer outra coisa, além do mundo material.
Certo dia, quando ele já estava fechando a farmácia, chegou uma criança com um bilhete nas mãos, solicitando um remédio. Ele disse que já estava fechada, mas a criança, com lágrimas nos olhos, informou-o que sua mãe estava muito mal e precisava com urgência daquela medicação. Devido à insistência da menina, mesmo contrariado, resolveu reabrir a farmácia e vender o remédio, mas devido à sua insensibilidade e àquele nervosismo sem causa, não acendeu a luz e pegou o remédio errado, cujo o efeito era exatamente o contrário do que aquele que aquela mulher precisava e, certamente, iria matá-la. Em pânico, tentou alcançar a criança, sem êxito. Voltou para a farmácia e, sem saber o que fazer, com a consciência pesada e com medo, muito medo de ser processado ou até mesmo preso, de perder tudo o que levou a vida inteira para construir, instintivamente, fez algo que nunca havia feito: ajoelhou-se e orou. Mesmo sendo um ateu, seu espírito o levou a buscar o Criador e clamar por ajuda.
De repente, sentiu uma mão a tocar-lhe o ombro esquerdo e ao se virar, deparou-se com a criança: "Senhor, por favor, não brigue comigo, mas é que eu caí e quebrei o vidro do remédio. Dá pro senhor me dar outro?”

Quando a aflição quer persistir, Deus nos envolve com paz

"Tendo, portanto, um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou os céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos confiadamente ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno." Heb.4:14-16

Fonte:http://missaoevoz.blogspot.com

Reflexão Bíblica em Lucas 7.48-49

VERSÍCULO:Então Jesus disse a ela: “Seus pecados estão perdoados”. Os outros convidados começaram a perguntar: “Quem é este que até perdoa pecados?”(Lc 7:48-49)

PENSAMENTO:Boa pergunta! Realmente, quem é este que até perdoa pecados?Dizer que seus pecados são perdoados não quer dizer que eles são pouca coisa e portanto não importam. Se era pouca coisa e não importava, não precisava de perdão. Nem tampouco quer dizer que é tudo relativo, e você é que sabe. E muito menos significa que você terá que pagar pelos seus pecados. Em dois mil anos já saiu cada teoria para explicar quem Jesus é e o que ele veio fazer! Mas, uma coisa é clara nas próprias palavras de Jesus aqui - ele entendeu que era mesmo Deus e tinha toda autoridade para perdoar pecados.Jesus ativamente declarou naquele momento àquela mulher que seus pecados foram perdoados. O que ele havia falado sobre ela antes (v.47), agora ele comunicou pessoalmente a ela. Quem é este que até perdoa pecados? Muito bem. Sua resposta a essa pergunta será decisiva para determinar seu futuro eterno. Procure bem a resposta verdadeira.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

Reflexão Bíblica em Lucas 7.47

VERSÍCULO:"Portanto, eu lhe digo, os muitos pecados dela lhe foram perdoados; pois ela amou muito. Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama”.(Lc 7:47)

PENSAMENTO:Jesus já havia perdoado os pecados da "pecadora" e por isso ela veio agradecer? Ou, será que conhecendo um pouco de longe esse rabino, ela ficou tocada ao imaginar que a graça de Deus podia chegar até ela? Talvez o que ela vislumbrou em Jesus foi o suficiente para tocá-la e levá-la a uma ação de graças. Pecadoras podem promover ações de graças? Prostitutas? Adúlteras? Lésbicas?Mães que abortaram filhos? Sem dúvida. E como! Como elas podem ficar gratas ao descobrirem que a graça de Deus é também para elas.E se nós que presumimos tanto nesta graça pudéssemos lembrar o quanto um dia fomos tão carentes dela. Se pudéssemos apenas lembrar. Obrigado, querida irmã, pela lembrança que nos trousse.
Fonte: www.hermeneutica.com.br

Reflexão Bíblica em Lucas 7.44-46

VERSÍCULO:Em seguida, virou-se para a mulher e disse a Simão: “Vê esta mulher? Entrei em sua casa, mas você não me deu água para lavar os pés; ela, porém, molhou os meus pés com suas lágrimas e os enxugou com seus cabelos. Você não me saudou com um beijo, mas esta mulher,desde que entrei aqui, não parou de beijar os meus pés. Você não ungiu a minha cabeça com óleo, mas ela derramou perfume nos meus pés.”(Lc 7:44-46)

PENSAMENTO:Muitos "bons" Cristãos vivem vidas de retidão e justiça. Alguns fazem isso ardendo com desejos e sofrendo tentações terríveis.Outros seguem puros e santos na maior tranqüilidade. Seja qual for o grupo ao qual pertencemos, tomemos cuidado para que aquilo que damos a Jesus no final das contas não passe de reprovação aos"pecadores" ao nosso redor. Era só isso que Simão tinha para dar a Deus quando Ele veio jantar em sua casa. Para alguns de nós, sofrer tentação constante pode resultar em bênção inesperada. Jesus precisa muito mais das nossas lágrimas do que do nosso julgamento -e os perdidos que nos cercam também.
Fonte:www.hermeneutica.com.br

30/07/2011

Reflexão Bíblica em Lucas 7.41-43

VERSÍCULO:“Dois homens deviam a certo credor. Um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinqüenta. Nenhum dos dois tinha com que lhe pagar, por isso perdoou a dívida a ambos. Qual deles o amará mais?”Simão respondeu: “Suponho que aquele a quem foi perdoada a dívida maior”. “Você julgou bem”, disse Jesus.(Lc7:41-43)

PENSAMENTO:Por que Jesus contou aquela parábola? Obviamente, a moral da história se encaixava com o ponto que ele queria mostrar ao fariseu. No entanto, há algo mais. Jesus queria que Simão pudesse ouvir e enxergar onde ele errou. Um confronto direto poderia levá-lo à defensiva. Uma história bem contada o levou ao entendimento e, talvez, ao começo do arrependimento. Há muitas lições na história que Jesus contou. Mas, há uma bela lição justamente no tratamento que Jesus deu a Simão. Vamos usar sabedoria e tato ao tratarmos pessoas que se opõem a nós. Se Jesus podia elogiar o bom julgamento de um fariseu, eu suponho que posso também encontrar algo de bom em praticamente qualquer outra pessoa,por pior que tenha me tratado. E você?
Fonte: www.hermeneutica.com.br

29/07/2011

Davi e Sua Forma de Resolver Problemas (Parte 2)

Problemas provocados e não provocados
Na nossa vida há dois tipos de problemas: aqueles que nós mesmos causamos e aqueles dos quais não temos culpa. São problemas com origens diferentes, mas ambos estão presentes em nossas vidas. Porém, podemos e devemos aprender a lidar com eles:


Os problemas não provocados
Durante sua vida, Davi foi confrontado com problemas, provações e sofrimentos, como qualquer pessoa. Infelizmente, a vida é assim, uma conseqüência desagradável do pecado. Não foi à toa que Moisés disse com relação à vida humana:


“Os dias da nossa vida sobem a setenta anos ou, em havendo vigor, a oitenta; neste caso, o melhor deles é canseira e enfado…” (Sl 90.10).

Isso significa que canseira e enfado são as conseqüências lógicas e inevitáveis do pecado.


Os problemas provocados
Esses problemas são resultado da desobediência consciente em relação à Palavra de Deus. Apesar de a culpa em si ser removida quando aceitamos o perdão, é possível que tenhamos de arcar com algumas conseqüências.
Em sua vida, Davi enfrentou os dois tipos de dificuldades. A forma com que ele lidou com elas é notável:
Certo dia Davi se escondeu em uma caverna úmida e escura. Saul queria matá-lo. Não havia mais nenhuma forma de escapar. Então Davi escreveu o Salmo 57:


“Firme está o meu coração, ó Deus, o meu coração está firme; cantarei e entoarei louvores. Desperta, ó minha alma! Despertai, lira e harpa! Quero acordar a alva. Render-te-ei graças entre os povos; cantar-te-ei louvores entre as nações. Pois a tua misericórdia se eleva até aos céus, e a tua fidelidade, até às nuvens. Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus; e em toda a terra esplenda a tua glória” (Salmo 57. 7-11).Quando Davi ficou sabendo que muitos de seus amigos sacerdotes tinham sido mortos, ele escreveu o seguinte no Salmo 52: “…esperarei no teu nome, porque é bom” (v. 9).

Como Davi lidava com as dificuldades
Davi solucionava seus problemas, independentemente dele mesmo tê-los causado ou não, confiando-os a Deus. O Salmo 55 também demonstra esse tipo de atitude. O pano de fundo histórico relativo a esse salmo pode ser encontrado nos capítulos 15 a 18 do segundo livro de Samuel: Absalão, o filho de Davi, tinha assumido o poder por meio de um golpe de Estado. Davi estava fugindo dele. Seu próprio filho queria não apenas a coroa, mas também desejava matá-lo. Além disso, um dos amigos de Davi tinha se bandeado para o lado do revoltoso. Em sua fuga, Davi sofreu humilhação pública, foi apedrejado e amaldiçoado. Como ele lidou com isso?

Primeiro, Davi simplesmente ficou quieto
Esses acontecimentos absurdos deixavam-no sem palavras, mas ele sabia de uma coisa: “Eu mesmo tenho culpa da situação ter chegado a este ponto. Ela é conseqüência do meu pecado”. E assim Davi ordenou aos seus servos que queriam dar uma lição no apedrejador: “Deixai-o; que amaldiçoe, pois o Senhor lhe ordenou” (2 Sm 16.11). Davi estava consciente do fato de que Deus permitia esse sofrimento. Por isso, ele não se rebelou. Será que nós também conseguimos, por princípio, aceitar as provações? Era o que Davi fazia!

Davi transformou suas preocupações em orações!
Como ele fazia isso?


“Dá ouvidos, ó Deus, à minha oração; não te escondas da minha súplica. Atende-me e responde-me” (Sl 55.1-2).
Davi contava que Deus ouviria, veria, conheceria a situação e estaria ao seu lado para ajudá-lo. Como você lida com essas situações difíceis? Você logo pega o telefone para contar a outra pessoa, ou primeiro derrama seu coração diante de Deus? No Salmo 62.8 Davi convida:


“Confiai nele, ó povo, em todo tempo; derramai perante ele o vosso coração; Deus é o nosso refúgio”. (Salmo 62.8

Davi lidava de forma honesta com a sua situação
Ele não tinha vergonha de reconhecer que estava mal:


“Atende-me e responde-me; sinto-me perplexo em minha queixa e ando perturbado, por causa do clamor do inimigo e da opressão do ímpio; pois sobre mim lançam calamidade e furiosamente me hostilizam. Estremece-me no peito o coração, terrores de morte me salteiam; temor e tremor me sobrevêm, e o horror se apodera de mim” (Sl 55.2-5).
Davi estava perto de um colapso, o suor frio do medo corria pelas suas costas.

Davi queria fugir e simplesmente esquecer tudo
Seria tão bom: pegar um avião, curtir o sol e o mar, simplesmente desligar. E assim escreveu Davi:


“Então, disse eu: quem me dera asas como de pomba! Voaria e acharia pouso. Eis que fugiria para longe e ficaria no deserto. Dar-me-ia pressa em abrigar-me do vendaval e da procela” (Sl 55.6-8).
Mas quando os problemas são reais, uma ilha deserta não ajuda em nada. Comprimidos e álcool também não são a solução correta. O que fazer?


Frustração, raiva e ódio precisam sair!
Davi sabia que precisava enfrentar a situação. As desculpas esfarrapadas não adiantavam nada, pois só levariam a novos becos sem saída. Por isso, ele continuou escrevendo:


“Destrói, Senhor, e confunde os seus conselhos, porque vejo violência e contenda na cidade. Dia e noite giram nas suas muralhas, e, muros a dentro, campeia a perversidade e a malícia; há destruição no meio dela; das suas praças não se apartam a opressão e o engano. Com efeito, não é inimigo que me afronta; se o fosse, eu o suportaria; nem é o que me odeia quem se exalta contra mim, pois dele eu me esconderia; mas és tu, homem meu igual, meu companheiro e meu íntimo amigo. Juntos andávamos, juntos nos entretínhamos e íamos com a multidão à Casa de Deus. A morte os assalte, e vivos desçam à cova! Porque há maldade nas suas moradas e no seu íntimo” (Sl 55.9-15).
Davi precisava desabafar. Por isso, ele se pôs de joelhos e colocou tudo para fora, expondo toda a sua raiva diante de Deus. Você também sabe o que é fermentar, cozinhar e ferver por dentro? Como você lida com isso?
Davi obteve alivío clamando a Deus:

“Eu, porém, invocarei a Deus, e o Senhor me salvará. À tarde, pela manhã e ao meio-dia, farei as minhas queixas e lamentarei; e ele ouvirá a minha voz” (Sl 55. 16-17).
Mas por que também à noite? Porque a pressão e o coração sobrecarregado não nos deixam dormir bem. Se não conseguimos fechar os nossos olhos por causa dos problemas, precisamos de uma válvula de escape. Existe apenas uma única coisa que realmente ajuda e é totalmente saudável: a oração. Por isso: faça de suas preocupações e provações uma oração!


Apesar das circunstâncias difíceis, Davi não ficou desconcertado
Ele estava mais velho. A fuga foi cansativa e incômoda, ele estava acostumado ao conforto da vida na corte. No caminho, pessoas jogaram pedras nele e o cobriram de xingamentos. A morte o perseguia de perto. Desertos quentes, noites geladas e a fome esperavam por ele. Até mesmo o amigo o traíra. Tudo era contra ele.
Mas Davi já tinha experimentado o socorro de Deus em tantas ocasiões durante a sua vida que mesmo agora, apesar de todas as circunstâncias contrárias, ele mais uma vez escreveu:


“Confia os teus cuidados ao Senhor, e ele te susterá; jamais permitirá que o justo seja abalado. Tu, porém, ó Deus, os precipitarás à cova profunda; homens sanguinários e fraudulentos não chegarão à metade dos seus dias; eu, todavia, confiarei em ti” (Sl 55.22-23).
Davi estava dizendo o seguinte: “Senhor, posso descansar; Senhor, posso confiar em Ti; Senhor, posso ter certeza de que Tu saberás lidar com a minha situação. Independentemente do que enfrento, posso ter essa certeza: Tu, Senhor, alcançarás Teu objetivo comigo”. Você também pode orar ao Senhor nesse sentido: “eu, todavia, confiarei em ti!"

Autor: Samuel Rindlisbacher – http://www.estudosgospel.com.br/

Reflexão Bíblica em Lucas 7.36-40

VERSÍCULO:Convidado por um dos fariseus para jantar, Jesus foi à casa dele e reclinou-se à mesa. Ao saber que Jesus estava comendo na casa do fariseu, certa mulher daquela cidade, uma ‘pecadora’, trouxe um frasco de alabastro com perfume, e se colocou atrás de Jesus, a seus pés. Chorando, começou a molhar-lhe os pés com suas lágrimas.Depois os enxugou com seus cabelos, beijou-os e os ungiu com o perfume. Ao ver isso, o fariseu que o havia convidado disse a si mesmo: “Se este homem fosse profeta, saberia quem nele está tocando e que tipo de mulher ela é: uma ‘pecadora’ ”. Então lhe disse Jesus: “Simão, tenho algo a lhe dizer”.“Dize, Mestre”, disse ele.(Lc 7:36-40)

PENSAMENTO:Jesus jantava com fariseus e publicanos (Mt 9:10; Lc 5:29).Embora Simão fosse membro de um grupo que fazia oposição a ele,nosso Mestre teve consideração de manter a comunhão com ele. Jesus tratou cada pessoa como um indivíduo. Com Jesus cada um tem achance de mostrar quem é. Jesus conhecia os pensamentos de Simão e podia desmascará-lo na hora, revelando como Simão julgou errado.Mas, o Senhor o tratou com respeito e paciência. Será que nós temos feito o mesmo com pessoas que nos incomodam ou até se opõem a nós ou nossos planos? O caminho que Jesus escolheu, do diálogo e da paciência, leva à salvação. Isso é o que realmente importa.
Fonte:www.hermeneutica.com.br

28/07/2011

Davi e Sua Forma de Resolver Problemas (Parte 1)

Todos nós lutamos com diversos problemas e dificuldades – seja na vida profissional ou em nossas famílias e casamentos. Inúmeras pessoas não conseguem mais dar conta dos seus problemas. Por isso a Bíblia nos convida a lançar nossas cargas sobre Jesus:
“Confia os teus cuidados ao Senhor, e ele te susterá; jamais permitirá que o justo seja abalado” (Sl 55.22).

Davi era uma pessoa como eu e você, com traços de caráter positivos e negativos. Ele sabia o que era simpatia e antipatia, era uma pessoa com pontos fortes e outros menos fortes. Mas, apesar de seus erros e fraquezas, Davi era uma pessoa que buscava a Deus de todo o coração. Ele tinha consciência profunda de sua pecaminosidade. E justamente por isso ele vivia na dependência do perdão de Deus. Além disso, Davi era um homem ligado à Bíblia, que amava a Palavra de Deus e se orientava por ela. Davi se destacou acima de tudo por uma coisa: seu profundo anseio pela salvação de Deus, seu anseio pelo Salvador: “Suspiro, Senhor, pela tua salvação…” (Sl 119.174).

Dois enganos
Antes de mais nada, quero corrigir dois enganos. São enganos que freqüentemente nos atrapalham e nos impossibilitam de lidar corretamente com nossos problemas:
1. É um engano pensar que cristãos devotados a Deus não adoecem, não têm problemas e permanecem protegidos do perigo e da doença. Ouvimos com freqüência: “Você só precisa ter a fé certa, dedique-se totalmente a Deus, viva de acordo com a Sua Palavra – e tudo vai ficar bem! Você terá saúde, não terá problemas, suas dificuldades financeiras vão se dissipar no ar, e também na sua família só haverá felicidade”. Esse ponto de vista não é biblicamente sustentável e está baseado em um engano! É isto que analisaremos agora com ajuda da Bíblia, ou seja, pela vida de Davi: o próprio Deus deu o seguinte testemunho a respeito dele e de sua vida de fé: “Achei Davi… homem segundo o meu coração…” (At 13.22). Mas apesar desse testemunho positivo de Deus, a vida de Davi era tudo, menos livre de problemas e preocupações. Pelo contrário: havia um sem-fim de diferentes sofrimentos e provações. Por exemplo: ainda menino, Davi foi obrigado a se considerar como alguém cuja única serventia era cuidar das ovelhas da família. Ele era sempre hostilizado. Seu irmão mais velho só o tratava com desprezo. Seu protetor (Saul) o decepcionou e queria matá-lo. Sua esposa o ridicularizou publicamente. Seu amigo o traiu e seu próprio filho o expulsou de casa, roubou seu trono e queria liquidá-lo por meio de um golpe de Estado. Disso concluímos que é possível alguém ser descrito como “um homem (ou uma mulher) segundo o coração de Deus” e, ao mesmo tempo, levar uma vida cheia de provações.
O apóstolo Paulo também nos adverte contra uma conclusão errônea:

“Tu, porém, tens seguido, de perto, o meu ensino, procedimento, propósito, fé, longanimidade, amor, perseverança, as minhas perseguições e os meus sofrimentos, quais me aconteceram em Antioquia, Icônio e Listra, – que variadas perseguições tenho suportado! De todas, entretanto, me livrou o Senhor. Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Tm 3.10-12).
Para Paulo estava claro que a vida como cristão pode acarretar dificuldades. É isso que os 2000 anos de história da Igreja de Cristo também mostram. Lemos, por exemplo, numa publicação da Aliança Evangélica Alemã do dia 11 de novembro de 2005:

“Ninguém pode determinar com precisão o número dos mártires – as estimativas ficam entre 90.000 e 175.000. E a quantidade de cristãos torturados, ridicularizados e expulsos em todo o mundo nem sequer pode ser estimada”.

Vamos nos precaver contra o erro de pensar que os cristãos não ficam doentes, não enfrentam problemas, são imunes à depressão e estão sempre felizes!
2. É um erro pensar que o pecado não tem conseqüências. É freqüente que justamente pessoas com educação cristã pensem: “Que nada, não importa como eu vivo, o que eu faço e como brinco com o pecado: isso não é tão trágico. A qualquer momento posso chegar até Jesus, Ele sempre está disposto a perdoar”. Bem, é totalmente correto e bíblico que Deus sempre perdoa, e faz isso com prazer:


“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1.9).
Mas, atenção: essa medalha também tem o seu reverso:


“Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7).
Esse versículo se dirige explicitamente a pessoas que se dizem cristãs – e mesmo assim brincam com o pecado. Deus incumbiu Paulo de nos advertir, e o sentido de suas palavras é o seguinte: “Elimine o engano a respeito do seu comportamento pecaminoso e errado, pois o seu pecado não ficará sem conseqüências”. Se estou infectado com o vírus da AIDS e me arrependo, Deus tem prazer em perdoar. Mas as conseqüências permanecerão comigo. Se eu ignorar todos os conselhos e casar com uma pessoa não-cristã, mesmo sabendo o que é correto, Deus terá prazer em perdoar – se eu reconhecer o pecado. Mas as conseqüências da desobediência não podem ser desfeitas.
A vida de Davi nos ensina com toda a clareza que o comportamento pecaminoso sempre tem as suas conseqüências: Davi adulterou com Bate-Seba. Além disso, mandou matar o marido dela. Davi agiu de forma conscientemente contrária à Palavra de Deus. Ele achou que podia brincar com o pecado. Davi se arrependeu do pecado (Sl 32, 38 e 51) e também tinha certeza de ter recebido o perdão de Deus (2 Sm 12.13). Mas não havia como desfazer o assassinato. O adultério de Davi veio à tona, pois Bate-Seba ficou grávida. E assim Deus disse a Davi:


“Por que, pois, desprezaste a palavra do Senhor, fazendo o que era mal perante ele? A Urias, o heteu, feriste à espada; e a sua mulher tomaste por mulher, depois de o matar com a espada dos filhos de Amom. Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher. Assim diz o Senhor: Eis que da tua própria casa suscitarei o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres à tua própria vista, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com com elas, em plena luz deste sol” (2 Sm 12.9-11).

Portanto, as conseqüências eram gravíssimas! De repente, os acontecimentos trágicos começaram a se suceder na casa de Davi: primeiro, um de seus filhos estuprou sua própria meia-irmã. Esse ato horrível acarretou um fratricídio. Em seguida, Absalão se rebelou contra o pai; ele organizou um golpe de Estado, desrespeitou publicamente as esposas de seu pai e, no fim, acabou assassinado.
O pecado pode ser comparado a uma pedra jogada em um espelho d’água. Muito depois que a pedra (o pecado) desapareceu, os círculos (as conseqüências) ainda se espalham pela superfície. O trágico é que não apenas Davi foi atingido, mas também todos aqueles que o cercavam. Por isso, não permaneça na ilusão de que o pecado não tem conseqüências. Ele é perdoado, sim, quando há arrependimento, mas não é desfeito, e as conseqüências ficam.

Autor: Samuel Rindlisbacher – http://www.estudosgospel.com.br/

Reflexão Bíblica em Lucas 7.35

VERSÍCULO:“Mas a sabedoria é comprovada por todos os seus discípulos.”(Lc 7:35)

PENSAMENTO:O que Jesus disse literalmente foi "a sabedoria é comprovada pelos seus filhos". De um lado os líderes religiosos diziam possuir a verdade. Do outro lado Jesus se proclamava como o Caminho. Em quem as pessoas podiam acreditar? Parece o mundo religioso de hoje?Jesus deu uma resposta prudente - olhe para o fruto. Olhe para os próprios seguidores. Onde é que você vê obras que só Deus pode produzir - pessoas totalmente mundanas se convertendo? Onde é que você vê o fruto do Espírito - amor, alegria, longanimidade e domínio próprio? Num lugar você vê pessoas proclamando ter todas as respostas, mas, com um espírito crítico e condenatório. Você sente que nunca consegue ser bom o suficiente e só elas e mais ninguém têm aquelas respostas. Em outro lugar você vê pessoas amando e servindo com espírito humilde e tolerante. Elas podem não conhecer todas as respostas, mas, elas conhecem Jesus – e para Deus isso é o suficiente. Com esse segundo grupo você sente que, apesar de todos os seus defeitos, Deus lhe ama. É difícil decidir onde estão os filhos da sabedoria divina? É difícil decidir onde Jesus estaria?
Fonte: www.hermeneutica.com.br

27/07/2011

Missionárias Solteiras (Parte 5)

Johanna Veenstra - Durante os anos 20 a 30, entregou sua vida na África. Morava numa cabana nativa sem teto e chão de terra. Estabeleceu um internato para treinar rapazes como evangelistas, o qual chegou a matricular 25 deles de uma só vez. Ainda achava oportunidades para serviços médicos e evangelísticos. Suas viagens de vila em vila duravam várias semanas e eram realizadas em uma bicicleta. Ela era um pioneira preparando o terreno para outros. Em 1933 ela havia entrado no hospital da missão para o que julgava ser uma cirurgia de rotina, mas não se recuperou e faleceu. "De uma cabana de barro para uma Mansão nos Céus.

Dezenas e centenas de outras mulheres solteiras aceitaram o desafio missionário para irem ao lugares mais difíceis da terra para levar a mensagem do amor de Cristo. Muitas delas foram martirizadas no campo missionário, mas nunca desistiram. Outras nem sabemos os seus nomes, mas no grande dia do Tribunal de Cristo, lá estarão para receberem a recompensa final pelo labor realizado nas missões transculturais.

Que o Senhor continue convocando mulheres dedicadas para a Obra Missionária, e oremos por aquelas que já estão no campo de batalha, levando o Evangelho a toda criatura. A Deus toda glória.

Fonte: http://www.basemissionaria.com.br