29/04/2009

REPENSANDO A FÉ

 1201810530ZuB2e7

Certas coisas perderam ímpeto dentro de mim. Certas afirmações se esvaziam antes que alcancem o meu coração. Certas concepções já não fazem sentido quando organizo o meu dia.
Minha fé deixou de ser uma força dirigida a Deu que o induz a agir. Entendo fé como coragem de enfrentar a existência com os valores do Evangelho. Fé significa uma aposta; a verdade vivida e revelada por Jesus de Nazaré tornou-se suficiente para que eu encare as contingências do mundo sem me desumanizar. Fé não movimenta o Divino, mas serve de pedra de apoio onde me impulsiono para a deslumbrante (e perigosa) aventura de viver.
Já não espero que uma relação com Deus me blinde de percalços. Não acredito, e nem quero, que Deus me revista com uma carcaça impenetrável. Acho um despautério prometer, em meio a tanto sofrimento, que uma vida obediente e pura gere segurança contra doenças, acidentes, violência.
Considero leviano afirmar que, quando as mulheres oram, Deus poupa seus filhos de se envolverem com drogas, promiscuidade e outros males. Por que Deus ficaria de mãos atadas ou indiferente diante das opções, muitas vezes atrapalhadas, de rapazes e moças? Quer dizer que, se os pais não vigiarem, Deus permite que os filhos se percam? Como Deus induz alguém a se arrepender; Ele arrasta pela força em resposta ao pedido dos pais? Será se a "salvação" dos filhos não depende tanto de uma intervenção divina, mas do exemplo dos pais?
Tanto no Antigo Testamento como no ministério terreno de Jesus, há relatos de que Deus se recusa a manipular ou coagir para trazer qualquer pessoa para si. Deus é amor e quem ama se torna vulnerável ao abandono. Um exemplo clássico vem do profeta Oséias que encarnou um repudio semelhante ao de Deus.
Quando Israel era menino, eu o amei, e do Egito chamei o meu filho. Mas, quanto mais eu o chamava mais eles se afastavam de mim (11.1).
No evangelho de Lucas, Jesus lamentou sobre a cidade de Jerusalém que, além de repetir o padrão de perseguir os profetas, o rejeitou:
Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram! (13.34).
Não acredito que, para os que cumprem ritos religiosos, a existência se transforme em céu de brigadeiro. Não imagino que, ao obedecer corretamente os mandamentos, o mar da vida deixe de ser arriscado.
Orar de olhos fechados, debulhar terços em rezas, pedir ajoelhado, fazer campanhas, interceder ferozmente nas vigílias, clamar aos gritos, nenhuma dessas expressões religiosas significa devoção, se contempla vantagens que outros mortais, que não fizerem o mesmo, não alcançarão. Considero-as puro clientelismo, vãs repetições, murros em ponta de faca, mistura de ilusão com esperança.
Assemelham-se ao esforço da tartaruga que sonha com as altitudes, mas se vê obrigada a respirar o pó da estrada.
Acho indigno um cristão pedir que Deus lhe ajude a passar em concurso público. Aliás, considero um horror ético. Da mesma forma, em economias que produzem excluídos, não é lícito rogar que “o Senhor abra uma porta de emprego”. Não faz sentido conceber que o Todo Poderoso consiga recolocar mais pessoas no mercado de trabalho de países emergentes do que nos bolsões miseráveis do mundo, onde bilhões sobrevivem com menos de 1 dólar por dia.
Já me indispus com grandes segmentos do mundo evangélico, mas não consigo calar. Por todos os lados, ouço clichês como se fossem afirmações piedosas de fé. Infelizmente, tais jargões cumprem o papel ideológico de afastar as pessoas da realidade, empurrando-as para o delírio religioso. Religião, nesse caso, não passa de ópio.
Soli Deo Gloria.
Ricardo Gondim

fonte: PavaBlog

QUEM SE INTERESSA PELOS PEQUENOS E POBRES POVOADOS?

 2213768377_fc3e268879_m

Na década de 60, fugi de pedradas por estar entregando folhetos de porta em porta aqui na cidade de São Paulo. Eu era a única crente na sala de aula.
Hoje temos uma grande variedade de CDs, DVDs, materiais: livros e bíblias para todos os gostos e públicos; temos até a “rua dos crentes”; eventos, mega eventos, pavilhões de exposições para cristãos, marcha para Jesus, TVs e Rádios evangélicas, igrejas bem equipadas que recebem um grande número de ouvintes…
Qualquer cristão há de se alegrar com o crescimento da Igreja no Brasil.
Não sou contra os shows gospel, porém, me angustia ver o desperdício de energia e dinheiro das igrejas dos grandes centros urbanos, enquanto no sertão nordestino, nas comunidades ribeirinhas, nos acampamentos ciganos, nas vilas quilombolas e nas tribos indígenas não há NADA disso. Não há nem programação, nem concessões de rádios evangélicas, não há missionários, não há verbas para o alcance desses povos ainda não alcançados.
Não me entristeço pelos shows, pelos eventos, muito menos pelo crescimento, mas pelo investimento dos crentes em si mesmos e na própria comunhão.
O fundo missionário das igrejas é uma vergonha comparado aos investimentos em ampliações, decoração, troca de poltronas, ar condicionado, novos departamentos… Em passagens aéreas para trazer pregadores e cantores famosos sem pensar em promover uma conferência missionária.
Segundo pesquisas, o crente brasileiro investe R$ 1,30 POR ANO em missões.
Quando falamos em perseguição religiosa pensamos logo nos países comunistas e muçulmanos (e com certeza devemos fazer alguma coisa para amenizar seu sofrimento), mas aqui dentro do Brasil há sim, perseguição religiosa. Recentemente troquei e-mails com o pastor Barbosa que durante muitos anos foi padre e vale a pena visitar seu blog para saber o que, sem nenhum remorso, pode fazer um padre no sertão nordestino contra um crente.
Na década passada víamos a Igreja despertando como “noiva”. Pensei comigo, que maravilha, agora quem sabe a Igreja pensará nas almas perdidas, pois a noiva aguarda as Bodas, certo? Não. Não foi dessa vez, pois a “noiva” não quis sair do salão de beleza e começou a louvar a si mesma.
Se o crente brasileiro despertar de seu sono (deitado eternamente em berço esplêndido como disse Julio Severo) poderemos ter um reavivamento verdadeiro como Igreja de Cristo.
Só faz missões, só investe em missões, quem AMA a JESUS.
As pessoas estão equivocadas a respeito de missões, pois há muitos mitos sobre o assunto:
“Não sirvo pra isso, não tenho dinheiro pra isso, não senti o chamado, missionário sofre muito, missionário está sempre sem dinheiro”, etc.
Tem mais pessoas sofrendo por motivo torpe neste mundo, do que em campos missionários!
Neste instante alguém está contraindo malária na busca de minério.
Tem alguém sofrendo da coluna carregando sacos pesados com garrafas de cachaça nas costas para vender aos índios.
Onde estão os pés daqueles que levam as boas novas?
Há sofrimento sim, mas há muita alegria e suprimento no campo missionário e felizmente (porque Deus é confiável e é o dono da seara), nunca faltarão recursos para a pregação do evangelho. Portanto, investir em missões é um privilégio e só quem compreende o que significa ter o nome escrito no livro da vida, dá atenção à igreja perseguida, às ações missionárias e aos povos não alcançados.
Obrigada por tua atenção, pois a tua sintonia de amor e intercessão faz boa diferença no mover missionário da Igreja brasileira.

Deise Felipe
Fonte: Cruzada Água Viva Para o Sertão - http://aguavivaparaosertao.wordpress.com/

FONTE: Veredas Missionárias: Quem se interessa pelos pequenos e pobres povoados?

FAZENDO MISSÕES...





Estamos numa época, no Brasil, em que há dezenas de Congressos Missionários ocorrendo. Mas cabe aqui um questionamento:

O que podemos fazer por missões?

- Contribuir financeiramente todos os meses para missões
- Corresponder-se com uma agencia missionária
- Dar um presente para o missionário, ou para alguem de sua família
- Demonstrar amor e respeito pelos missionários
- Dizer sempre palavras de encorajamento para os missionários
- Escrever uma carta para algum missionário que esteja no campo
- Estar atento a alguma necessidade do missionário e ajudá-lo de alguma maneira
- Ler livros e publicações sobre missões
- Orar diariamente por todos os missionários
- Participar de cultos e conferencias missionárias
- Se possível,visitar os missionários em seus campos de trabalho

FAÇA MISSÕES ENQUANTO É TEMPO, POIS A NOITE VEM!

28/04/2009

CONSELHOS PARA OS PAIS: ALGUMAS COISAS QUE DEUS IRÁ LHES PERGUNTAR NAQUELE DIA…

 veinva

Deus não irá lhes  perguntar se vocês andaram na moda. Deus está mais preocupado com os nossos adornos internos: não quer que  guardemos amarguras, mas que esqueçamos  os pensamentos ruins.

Deus não vai nos perguntar que tipo de carro  dirigimos. Ele deve perguntar se nós apostamos corrida com nossos filhos, se fizemos um desenho, e se  lhes demos uma amizade tranquila.

Deus não vai perguntar o tamanho da nossa casa. Ele vai perguntar quantos colegas do seu filho você recebeu nela.

Deus não vai lhes perguntar sobre a cor da pele do seu filho. Ele vai  lhes perguntar sobre o conteúdo do seu caráter.

Deus pode não perguntar se vocês trabalharam muito, mas pode perguntar, sim,  se vocês descarregaram ou descontaram suas frustrações e cansaço em suas famílias.

Deus já sabe que vocês cometeram muitos erros com os seus filhos, o que Ele pode lhes perguntar é se vocês pediram perdão TODAS AS VEZES que erraram e se procuraram mudar de atitude.

Deus não vai perguntar quanto vale o tempo de vocês, mas Ele pode perguntar se vocês ajudaram seus filhos a fazerem a lição de casa. Se vocês o buscaram na escola. Se vocês foram assistir as suas apresentações.

Deus não vai  lhes perguntar o que aconteceu na novela, ou como terminou aquele filme,  mas vai lhes perguntar se vocês mostraram aos seus filhos como unirem as mãos e orar, se vocês ensinaram os seus corações  a amarem  a Deus e à Sua Palavra.

Deus não deve perguntar qual era a  posição social  que vocês tinham, ou quanto pagaram por uma babá, mas vai querer saber se foram  vocês mesmos quem educaram  e inspiraram  seus filhos.

Talvez Deus não vá lhes perguntar quantos filhos vocês tiveram. Mas Ele irá lhes perguntar quantos filhos vocês realmente criaram e se  foram pais ou mães de verdade!

Deus quer saber dos seus medos e angústias, assim como deseja conhecer seus sonhos e vontades.

Deus quer saber se seus filhos podem se espelhar em vocês!

Deus irá lhes perguntar se vocês perderam seus filhos para o mundo, ou se os ganhou para Deus!

Deus quererá saber se o coração dos pais está voltado para os filhos, e se o coração dos filhos está voltado para os pais.

E por fim, Deus vai querer saber se você amou os seres humanos que Ele colocou em suas mãos, para que você cuidasse de cada um deles.

E o melhor de tudo é que ainda há tempo para recomeçar hoje, agora mesmo! Pois amanhã pode ser o seu dia de responder essas perguntas para Deus...

Senhor ajuda-nos! Transforme e mude completamente a nossa mente!

“Ensina-nos a contar os nossos dias, para que o nosso coração seja sábio.”  Salmos 90:12.

Anônimo

O CARÁTER DE UM POLÍTICO ASTUTO : UM ESTUDO SOBRE A VIDA DE ABSALÃO

1573289807_dcc41bd771_m

2 Samuel, capítulos 13 a 18

Introdução
A história de Absalão não é uma história bonita. Filho do Rei Davi, ele teve uma existência marcada por inúmeros pecados. Era uma pessoa atraente, simpática, e famosa, que realmente chamava a atenção. Poucas pessoas no mundo poderiam receber o tipo de descrição que dele é feita em 2 Sm 14.25: “Não havia, porém, em todo o Israel homem tão celebrado por sua beleza como Absalão; da planta do pé ao alto da cabeça, não havia nele defeito algum”. Quando lemos a sua história, registrada nos capítulos 13 a 18 de 2 Samuel, vemos que ele era um daqueles “líderes natos”, com personalidade marcante e carismática. Era impulsivo em algumas ações, mas igualmente maquinador e conspirador para preencher suas ambições de poder. Por trás de um passado que abrigava até um assassinato de seu irmão, ele não hesitou em utilizar e manipular pessoas e voltar-se contra seu próprio pai, para vir a governar Israel. Uma vez no poder, demonstrou mais impiedade, crueldade e imoralidade. No seu devido tempo, foi castigado por Deus, sofrendo uma morte inglória, sendo Davi reconduzido ao poder.
O caráter de Absalão não é diferente de muitos personagens contemporâneos de nossa política. Na realidade, ele reflete bem como a ambição pelo poder, conjugada com outros pecados, transtorna o comportamento de políticos “espertos” e “astutos”, levando-os a uma vida de engano e egoísmo desenfreado, na maioria das vezes com o aproveitamento pessoal do bem público. Necessitamos de sabedoria e discernimento, para penetrarmos a couraça de fingimento que é mostrada à sociedade. Necessitamos de uma conscientização de nossas responsabilidades, como cidadãos, para que estejamos cobrando, com o devido respeito, as responsabilidades de nossos governantes, conforme estipuladas nas Escrituras em Romanos 13.
Nosso propósito, neste artigo, é estudar as ações de Absalão registradas no capítulo 15 de 2 Samuel, versos 1 a 12, identificando algumas peculiaridades de sua pessoa e caráter para que sirva de alerta à nossa percepção do mundo político e da busca pelo poder. Queremos verificar se essas características são reflexos da natureza humana submersa em pecado, e aprender que devemos resguardar nosso apoio irrestrito, a tais pessoas de intensa ambição. Devemos também agir responsavelmente como cidadãos cristãos, na medida do possível, para que as instituições que tais pessoas pretendem governar sejam também resguardadas.

As Características de Absalão

Vejamos, 10 características do político astuto e matreiro que foi Absalão, conforme o relato que temos no capítulo 15 do Segundo livro de Samuel:
1. Ostentação e demonstração de poder. No verso 1, lemos: “Depois disto, Absalão fez aparelhar para si um carro e cavalos e cinqüenta homens que corressem adiante dele”. No capítulos 13 e 14 lemos como Absalão ficou foragido, após assassinar seu irmão. Aparentemente, Davi tinha grande amor por Absalão e, após três anos dos acontecimentos que culminaram no assassinato e fuga, Davi o recebe de volta. Absalão era famoso. Em 2 Sm 14.25 lemos que ele era “celebrado” por suas qualidades físicas invejáveis e impecáveis. Possivelmente tudo isso havia “subido à cabeça”. Em vez de assumir uma postura de humildade e contrição, em seu retorno, o texto nos diz que ele trafegava em uma carruagem com cavalos. Semelhantemente a tantos políticos contemporâneos ele se deleitava na ostentação e na demonstração de poder. Nesse sentido, formou um extraordinário séquito de “batedores” – cinqüenta homens que corriam “adiante dele”. Certamente tudo isso contribuía para chamar ainda mais atenção, para a sua pessoa, e ia se encaixando nos planos que possuía, para a tomada do poder. Vamos ter cuidado com aqueles que buscam a ostentação e a demonstração do poder que já possuem, pois irão aspirar sempre mais e mais, às custas de nossa liberdade.
2. Comunicação convincente. O verso 2, diz: “Levantando-se Absalão pela manhã, parava à entrada da porta; e a todo homem que tinha alguma demanda para vir ao rei a juízo, o chamava Absalão a si e lhe dizia: De que cidade és tu? Ele respondia: De tal tribo de Israel é teu servo...”. Parece que Absalão não era preguiçoso. Levantava-se cedo e já estava na entrada da cidade, falando com as pessoas. Possivelmente tinha facilidade de comunicação, de “puxar conversa”. Identificava aqueles que tinham necessidades, aqueles que procuravam acertar alguma disputa e logo entrava em conversação com eles. Certamente essa é uma das características que nunca falta aos que aspiram o poder. Devemos olhar além da forma – devemos atentar para o conteúdo e a substância, procurando discernir os motivos do comunicador.
3. Mentira. O verso 3 mostra que Absalão era mentiroso. Era isso que Absalão comunicava àqueles com os quais ele conversava, com os que tinham demandas judiciais a serem resolvidas: “Então, Absalão lhe dizia: Olha, a tua causa é boa e reta, porém não tens quem te ouça da parte do rei”. Descaradamente ele minava a atuação, autoridade e função do rei Davi, seu pai. Com a “cara mais limpa”, como muitos políticos com os quais convivemos, passava uma falsidade como se fosse verdade. Certamente existia quem ouvisse as pessoas, em suas demandas. Certamente, nem toda causa era “boa e reta”, mas Absalão não estava preocupado com isso, nem com a verdade. Ele tinha os seus olhos postos em situação mais remota. Ele queria o poder a qualquer preço. Para isso não importava se ele tinha que atropelar até mesmo o seu pai. Não sejamos crédulos às afirmações inconseqüentes, às generalizações mentirosas de tantos que aspiram o poder.
4. Ambição e engano. O verso 4, confirma a linha de ação adotada por Absalão, na trilha da decepção: “Dizia mais Absalão: Ah! Quem me dera ser juiz na terra, para que viesse a mim todo homem que tivesse demanda ou questão, para que lhe fizesse justiça!” Será que realmente acreditamos que o malévolo Absalão estava mesmo preocupado com o julgamento reto das questões? Será que ele tinha verdadeira “sede e fome de justiça”? A afirmação demonstra, em primeiro lugar que a sua ambição era bem real – ele queria ser “juiz na terra” – posição maior que era ocupada pelo rei seu pai. Quanto à questão de “fazer justiça” – será que realmente podemos acreditar? Certamente com a demonstração de impiedade e injustiça que retratou posteriormente, quando ocupou o poder, mostra que isso era ledo engano aos incautos. Quantas pessoas terão sido iludidas por ele! Quantas o apoiaram porque acharam que ali estava a resposta a todas as suas preces e anseios – “finalmente, alguém para fazer justiça”! Como é fácil sermos iludidos e enganados em nossas necessidades! Não sejamos ingênuos para com promessas que não poderão ser cumpridas.
5. Bajulação. No verso 5, vemos como Absalão era mestre em adular aos que lhe interessavam: “Também, quando alguém se chegava para inclinar-se diante dele, ele estendia a mão, pegava-o e o beijava”. Que político charmoso! Estava prestes a receber um cumprimento, mas ele se antecipava! Com uma modéstia que era realmente falsa, como veríamos depois, ele fazia as honras para com o que chegava. Realmente era uma pessoa que sabia fazer com que os que o visitavam se sentissem importantes. Sempre gostamos de receber um elogio, de sermos bem tratados. Tenhamos a percepção de verificar quando existem interesses ocultos ou motivos noturnos por trás da cortesia aparente.
6. Furto de coraçõesO despertar de seguidores ferrenhos! O verso 6 fala literalmente dessa característica. Não, Absalão não violava sepulturas, nem estava interessado em transplantes de órgãos. Mas no sentido bem coloquial ele “roubava corações”: “Desta maneira fazia Absalão a todo o Israel que vinha ao rei para juízo e, assim, ele furtava o coração dos homens de Israel”. Com as ações descritas nos versos precedentes, Absalão angariava seguidores apaixonados por seu jeito de ser. Sua bandeira de justiça livre e abundante para todos, capturava o interesse, atenção e lealdade dos cidadãos de Israel. Não importava se havia um rei, legitimamente ungido pelo profeta de Deus. Aqui estava um pretendente ao poder que prometia coisas muito necessárias. Que era formoso de parecer. Que falava bem. O que mais poderiam as pessoas esperar de um governante? Será que alguém se preocupou em averiguar a sinceridade das palavras e das proposições? Será que alguém tentou aferir se as promessas proferidas eram possíveis de ser cumpridas? O alerta é para cada um de nós, também.
7. Falsa religiosidade – Os versos 7 a 9 registram: “Ao cabo de quatro anos, disse Absalão ao rei: Deixa-me ir a Hebrom cumprir o voto que fiz ao SENHOR, Porque, morando em Gesur, na Síria, fez o teu servo um voto, dizendo: Se o SENHOR me fizer tornar a Jerusalém, prestarei culto ao SENHOR”. É incrível como muitos políticos, mesmo desrespeitando os mais elementares princípios éticos, pretendem, em ocasiões oportunas, demonstrar religiosidade e devoção. No transcorrer do texto, vemos que tudo não passava de casuísmo, da parte de Absalão. Ele procurava costurar alianças. Procurava trafegar pela terra realizando os seus contatos, mas a fachada era a sua devoção religiosa. Pelo amor ao poder, antigos ateus declarados, se apresentaram como religiosos devotos. No campo evangélico deve haver uma grande conscientização de que existe uma significativa força eleitoral e política. Na busca pelo voto evangélico, muitos se declaram adoradores do Deus único e verdadeiro. Não nos prendamos às palavras, mas examinemos a vida e as obras de cada um, à luz das idéias que defendem. Vejamos também se as propostas apresentadas se abrigam ou contradizem os princípios da Palavra de Deus.
8. Conspiração – O verso 10, mostra que, finalmente, Absalão partiu para a conspiração aberta: “Enviou Absalão emissários secretos por todas as tribos de Israel, dizendo: Quando ouvirdes o som das trombetas, direis: Absalão é rei em Hebrom”. Insurgiu-se de vez contra o rei que havia sido ungido por Deus, para governar Israel. Não – ele não era um democrata que queria instalar uma república naquela terra. Valia-se de sua personalidade magnética, do seu poder de comunicação e das ações comentadas e registradas nos versos anteriores, para instalar um governo que seria não somente despótico, como opressor e abertamente imoral (2 Sm 16.22). Que Deus nos guarde dos políticos conspiradores, que desrespeitam as leis e autoridades e que são egoístas em sua essência.
9. Utilização de inocentes úteis – Leiamos o verso 11: “De Jerusalém foram com Absalão duzentos homens convidados, porém iam na sua simplicidade, porque nada sabiam daquele negócio”. Certamente essas duzentas pessoas, selecionadas a dedo, eram pessoas importantes e influentes. Certamente transmitiram a impressão que havia um apoio intenso e uniforme às pretensões de Absalão. Vemos que não é de hoje que as pessoas participam de uma causa sem a mínima noção de todas as implicações que se abrigam sob o apoio prestado. Devemos procurar pesquisar e estarmos informados sobre as causas públicas e sobre as questões que afetam a nossa vida e a da nossa nação. Nunca devemos permitir que sejamos utilizados como “inocente úteis” em qualquer causa, como foram aqueles “convidados” de Absalão.
10. Populismo – O verso 12 registra: “Também Absalão mandou vir Aitofel, o gilonita, do conselho de Davi, da sua cidade de Gilo; enquanto ele oferecia os seus sacrifícios, tornou-se poderosa a conspirata, e crescia em número o povo que tomava o partido de Absalão”. Vemos que, saindo do estágio secreto, a campanha ganhou as ruas e ganhou intensa popularidade, ao ponto em que um mensageiro chegou a dizer a David (v. 13) “o coração de todo Israel segue a Absalão”. Um dos ditos populares mais falsos é: “a voz do povo é a voz de Deus”. Não nos enganemos – muitas questões são intensamente populares, mas totalmente contrárias aos princípios da Palavra. Assim é também com as pessoas – a popularidade não é um selo de aprovação quanto ao comportamento ético e justo. Democracia (a regência pela maioria do povo) não é uma forma de se estabelecer o que é certo e o que é errado, mas uma maneira administrativa de se reger o governo sob princípios absolutos que não devem ser manipulados pela maioria, ou por minorias que se insurgem contra esses preceitos de justiça. Como cristãos, devemos ter uma visão muito clara dos princípios eternos de justiça, ética e propriedade revelados por Deus em Sua Palavra.

Conclusão

A história de Absalão que se iniciou no capítulo 13, continua até o capítulo 18. Absalão sempre gravitou próximo ao poder, mas aspirava o poder absoluto. Para isso, fez campanha, conspirou e lutou contra o seu próprio pai. Aparentemente esse político astuto foi bem sucedido. Foi alçado ao poder e lá se consolidou perseguindo e aniquilando os seus inimigos, entre os quais classificou o seu pai Davi, a quem tentou, igualmente, matar. Ocorre que os planos de Deus eram outros. Seu conturbado reinado foi de curta duração. Causou muita tristeza, operou muita injustiça e terminou seus dias enganchado pelos cabelos em uma árvore, enquanto fugia, e foi morto a flechadas.
Parece que vivemos permanentemente em campanha eleitoral, em nossa terra. A política, naturalmente, desperta fortes paixões, interesses e defesas. Muitos políticos, em sua busca pelo poder, passam a demonstrar muitas características demonstradas na vida de Absalão. É natural que alguém que almeja um cargo de liderança qualquer, possua um comprometimento intenso às suas idéias e objetivos. Os partidários, também submergem nesse mesmo espírito de luta. O problema vem quando a paixão, quer pelo líder, quer pelo poder, leva à cegueira moral, como na vida de Absalão. Nesse caso, desaparece a ética e princípios são atropelados. Os partidários, às vezes até sem perceberem, são sugados e manipulados. Em muitas ocasiões verificam que se encontram em uma posição de defender até o que não acreditam.
O cristão tem que se esforçar para ter uma consciência e vida tranqüila e serena perante Deus e perante os homens. Ele tem que se conscientizar que a sua lealdade é primordialmente para com Deus, para com a Sua Palavra objetiva, para com a causa do evangelho. Participação política consciente não significa lealdade inconseqüente. Na maioria das vezes o cristão verificará que se apoia esse ou aquele candidato, assim o faz não porque ele é o ideal e defensável em qualquer situação, mas porque representa o menor dos males, entre as escolhas que lhes são apresentadas. Sobretudo ele não pode se deixar manipular, como no caso dos seguidores de Absalão. Devemos, sempre, com respeito, apontar o desrespeito aos princípios encontrados nas Escrituras, por aqueles sobre os quais Deus colocou a responsabilidade de liderar o governo e as instituições de nosso país, lembrando 1 Tm 2.1-8, intercedendo sempre por eles em oração

 

ONDE ESTÃO AS MÃES?

 411922635_787a01ea94_m

Por: Psic. Elizabete Bifano

Minha filha de 19 anos foi a uma festa de família, convidada por uma amiga. Era aniversário de uma criança e muitas outras crianças convidadas estavam lá. Era uma festa linda, numa dessas belas casas preparadas exclusivamente para estas ocasiões.
Fomos buscar nossa filha. Ao entrar no carro perguntamos, como sempre fazemos, como tinha sido a festa e ela nos contou que foi muito bem recebida pela família da amiga, que a festa estava muito bonita, que havia docinhos muito diferentes dos que conhecemos, etc.
Entretanto, nada disso nos chamou tanto a atenção quanto o fato que ela mesma relatou, impressionada: “Mãe, você não vai acreditar, mas sabe o que eu vi? A maioria das crianças estava acompanhadas por suas babás. Algumas os pais estavam presentes e levaram a babá para tomar conta das crianças, mas várias outras nem as mães tinham ido, apenas as babás.”
Lamentamos o fato e conversamos sobre ele. Infelizmente esta é a realidade e ela nos constrange. O que podemos fazer?
Podemos nos indignar, lamentar, não aceitar e podemos falar e pregar. Incansavelmente diremos que crianças precisam de pais presentes. Pai e mãe que as acompanhem no dia a dia, que as vejam se desenvolver, que as ensinem a comer, andar, falar, se relacionar, que tenham tempo e disposição de brincar com elas e que as coloquem para dormir contando uma história e dando um beijo gostoso.
Mas hoje os casais não querem mais ter filhos ou, pelo menos, não é essa sua prioridade.
As mulheres adiam a maternidade, não gostam de ficar em casa cuidando da família, criando seus filhos; ser dona de casa, mãe é coisa do passado; agora o importante é a carreira profissional e ganhar dinheiro. Não para a sobrevivência da família, mas para comprar o carro, os belos móveis, as tantas roupas.
As casas e apartamentos estão bem mobiliados, o carro está na garagem, a geladeira está recheada de coisas gostosas, os armários estão cheios de coisas e mais coisas e os filhos estão sendo criados por outros. São os filhos das babás, das creches, dos avós... São estes que educam os filhos daqueles que não tem tempo, que trabalham muito.
Não sou totalmente contra as mulheres trabalhar fora; por experiência própria, sei que precisamos de realização profissional, que é bom ganhar nosso dinheiro e que nosso salário tem sido importante para o orçamento familiar. Entretanto, precisamos refletir sobre a situação atual – segundo pesquisas, 60% das mulheres trabalham fora. Que número elevado! Será que todas tem a real necessidade de trabalhar fora? Onde estão os filhos destas mães, quem os está educando? Quais os valores diários que estão recebendo, quem os está influenciando em seu modo de pensar, de falar? O que eles estão vendo e ouvindo? Quem os está ajudando a decidir?
Quando minhas filhas eram pequenas eu estava em casa com elas e quantos momentos inesquecíveis desfrutamos juntas, quantas festas de aniversário nós as levamos e observamos, orgulhosos, suas brincadeiras e socialização, quantas horas preciosas foram dedicadas a conversar, responder suas perguntas, ensinar coisas grandes e pequenas da vida, recitar a Palavra de Deus e mostrar os melhores caminhos e O Caminho. Elas declararam Jesus como seu Salvador em casa. No dia a dia falamos do evangelho para nossas filhas. Que privilégio! Eu estava lá quando cada uma delas disse a primeira palavra, deu o primeiro passo e fez todas aquelas gracinhas. E eu ri, e chorei de alegria por estar lá.
O Salmo 127 diz que os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá, que o homem é feliz quando tem muitos deles. Como a Palavra de Deus é verdadeira!
Ela nos dá esperança, a esperança de que os filhos ainda sejam criados por suas mães.

FONTE: Click Família

26/04/2009

DESISTO!

 001

Desisti. Joguei a toalha. Não vou mais tentar agradar os religiosos de plantão. Essa tarefa se mostra impossível. Esse é um tipo de gente que nunca está satisfeita. Quero dizer, nunca está satisfeita com a vida alheia, porque esse pessoal não consegue enxergar falha alguma em si mesmo, somente nos outros.
Os fariseus da atualidade, e essa raça de víboras (palavras de Jesus) ainda existe, têm as mesmas práticas e a mesma postura que os contemporâneos de Jesus. Amam o ambiente religioso, os ritos, a pompa e a circunstância. Lêem a bíblia como um código penal religioso e ainda criam outras regras para impor aos outros. Quando alguém discorda ou age de outro modo, ficam indignados, rasgam suas vestes (fizeram isso quando condenaram Jesus), querem logo condenar o blasfemo, o herege, pois ele é uma ameaça ao poder religioso deles.
Se o sujeito tem um estilo de vida asceta, é rotulado de santarrão, beato, quer ser mais santo que os outros, é arrogante. Se procura ser mais leve, é tachado de libertino, liberal, um perigo para a moral cristã. O religioso profissional, o fariseu dos dias modernos, só não consegue olhar para si mesmo.
João Batista foi homem de vida asceta, simples, não andava em festas, nem jantares, nem bebia vinho, vivia apenas para pregar o arrependimento. Pois os fariseus diziam que ele tinha demônio. Depois veio Jesus, que andava em festas, jantava na casa de pecadores, bebia vinho. Então os fariseus o chamavam de glutão, beberrão e amigo de pecadores. Eles nunca estavam satisfeitos. O estilo de nenhum dos dois os agradava.
Penso que se Jesus voltasse nos dias atuais, da mesma maneira que veio há dois mil anos, bebendo vinho, freqüentando festas, sendo amigo de pessoas de reputação duvidosa, muitos religiosos diriam que ele é um péssimo exemplo para a igreja, um glutão, festeiro e beberrão. Acho que ele não seria aceito na maioria das igrejas, mesmo sendo o Cristo, que deu a vida pela Igreja.
Para esse tipo de gente, míopes espirituais, o que importa são algumas regrinhas sobre aparência, ritual ou comportamento. Se por fora está tudo de acordo com o jeitão religioso, tudo bem, pouco importa se por dentro há ódio, morte e destruição. Bem ao estilo “sepulcro caiado”, mencionado nos evangelhos. A essência da mensagem pregada por Jesus, amor a Deus e ao próximo, não é nem lembrada por eles, que querem mesmo é condenar o mundo. Na boca deles o evangelho vira uma mensagem de vingança, condenação e exclusão, quando na verdade são boas novas de libertação e alívio, graça e misericórdia, justiça, paz e acolhimento, vida abundante e esperança de vida eterna.
Por isso tudo, não vou mais tentar agradar esses religiosos fariseus vorazes pela vida alheia. Não quero enlouquecer, tampouco quero me tornar escravo das neuroses de gente que não consegue entender e desfrutar a admirável graça de Cristo. Desisto.
Só não desisto de conhecer e prosseguir em conhecer a Deus, cujo amor é imensurável, de andar com Cristo, que me chamou para ser seu amigo e assim capturou meu coração, e de viver na plenitude do Espírito Santo, meu ajudador e consolador.


Márcio Rosa da Silva, no blog Inquietações de um aprendiz.

FONTE: PavaBlog

Os grifos são meus. A. S.

25/04/2009

GEORGE FOREMAN: DO BOXEADOR AGRESSIVO AO GIGANTE CONVERTIDO, GENTIL E BEM-HUMORADO

 
George Foreman diz que foi convertido de boxeador agressivo em gigante gentil e bem-humorado por uma razão apenas: porque encontrou Jesus.

Em seu livro, "God in My Corner: a Spiritual Memoir", o pugilista convertido em pregador conta como morreu e renasceu num vestiário em Porto Rico depois de sua célebre derrota para Jimmy Young, em 1977, numa luta que pôs fim à primeira fase de sua carreira de boxeador -- e de sua vida.

Foreman diz que, naquela noite, foi atirado para dentro de um poço profundo que cheirava a morte, mas que Deus o puxou para fora -- e que ele se sentiu tão purificado que não pôde mais odiar ou machucar ninguém.

Em 1994, ele chegou a reconquistar o título de campeão mundial dos pesos-pesados -- 20 anos depois de perdê-lo para Muhammad Ali na famosa luta em Kinshasa, a capital do país então conhecido como Zaire.

Hoje Foreman prega para uma pequena congregação em Houston, sua cidade natal, e se tornou empresário de sucesso, conhecido principalmente por suas grelhas "fat-free".

Foreman fala sobre seu livro e sua amizade com Muhammad Ali.

P: Você descreve o lugar sombrio para onde foi no vestiário após a luta com Jimmy Young -- o mau cheiro, o sangue que você viu, os versos bíblicos que não conhecia antes mas que recitou. Está realmente convencido de que não existe explicação médica para o que aconteceu?

R: Procurei uma explicação médica, mais do que qualquer outra pessoa procurou. Uma coisa que eu detestava mais que qualquer outra coisa no mundo, mais que a religião, eram pessoas religiosas. Nunca tive a intenção de fazer isso (pregar). Mas aquele cheiro de morte, olhar e enxergar o sangue em minhas mãos... Eu estava morto, e Deus me arrancou daquele poço e me deu uma segunda chance. Espantosamente, não tive mais tempo para odiar ninguém. Senti que não iria dizer nada de mau, nem tentar ferir mais ninguém em toda minha vida.

P: Você cresceu pobre, nas ruas de Houston -- no sul dos EUA, quando ainda havia segregação racial --, e hoje mantém um centro para jovens para tirar crianças pobres das ruas. Qual é o maior desafio enfrentado pela comunidade afro-americana hoje?

R: Acho que o maior desafio é que cada criança que nasce precisa encontrar seu lugar. Nenhuma criança neste mundo tem uma vantagem. A vida vai ser um desafio, mesmo que você nasça em berço de ouro, um John D. Rockefeller. Não é um desafio apenas para uma geração ou grupo étnico, mas para todos.

P: Não vejo em seu livro nenhuma menção a algumas questões ligadas aos evangélicos americanos, como aborto, casamento gay e orações nas escolas. Que posição você adota, como pregador, em relação a essas questões?

R: Sempre digo às pessoas em minha igreja que existem certas palavras inventadas puramente para a política. Elas não passam disso. Minha posição em relação a qualquer coisa é que obtenha dessa vida um ser humano decente.

P: Então, diferentemente de muitos cristãos evangélicos nos EUA, você não tem opiniões políticas?

R: Não, nenhuma.

P: O que você quer que os leitores tirem de seu livro?

R: Que não importa quem você é ou o que alguém lhe fez. A única maneira de encontrar paz de espírito é pelo perdão.

P: No livro você fala de sua amizade com Muhammad Ali. Ele é muçulmano devoto, você é cristão devoto. Alguma vez você tentou convertê-lo?

R: Se tentei? Muhammad me disse: "George, George, se Deus quiser que eu saiba o que você está tentando me dizer, deixe que Ele mesmo me diga! Me deixe em paz!". Eu segui aquele cara em todo lugar com a Bíblia. Preguei a ele todos os sermões do mundo sobre Jesus. Mas, no final, encontrei nele um amigo. Eu amo aquele homem.

Como você espera que será reconhecido pelas pessoas?

Uma pessoa que viveu em nome de Jesus Cristo.

 

COMO FAZER COM QUE MEU FILHO FAÇA TUDO ERRADO?

 thumbnailCAB85G7E

1. Desde pequeno, dê ao seu filho tudo que ele deseja.
2. Ache graça quando seu filho disser palavrões, pois assim ele ficará convencido da sua originalidade.
3. Não lhe dê orientação espiritual. Espere que ele mesmo escolha "sua religião", depois dos 21 anos de idade.
4. Nunca discuta quando ele fizer algo errado, pois isso poderia deixá-lo com complexo de culpa.
5. Deixe que seu filho leia o que quiser... A louça deve ser esterilizada, mas o espírito dele pode ser alimentado com lixo.
6. Arrume pacientemente, ou tenha uma empregada sempre para arrumar tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos, meias. Coloque tudo em seu lugar. Assim ele se acostumará a transferir a responsabilidade sempre para os outros.
7. Discuta diante dele, para que mais tarde ele não fique chocado quando a família se desestruturar.
8. Dê-lhe tudo em comida, bebida e conforto que o coração dele desejar. Leia cada desejo nos seus olhos! Recusas poderiam ter perigosas frustrações por consequência.
9. Defenda-o sempre contra os amigos, professores e a polícia.
10. Prepare-se para uma vida sem alegrias – pois é exatamente isso que o espera!

Quem "educar" seus filhos dessa maneira, realmente deve esperar anos difíceis, pois a Bíblia diz em Provérbios 29.15b: "...a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe". Aquele, entretanto, que seguir a Palavra de Deus na educação, experimentará o que diz Provérbios 29.17: "Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma."
Norbert Lieth

RESTAURANDO A VISÃO

 1146765167lhyy33

"olhando firmemente para Jesus, autor e consumador da nossa fé...".

Hebreus 12.2.

Se o Senhor não abrir os olhos do nosso entendimento sempre teremos uma visão distorcida das coisas de Deus. Somos extremamente tendentes a olhar para o que está diante dos olhos, para o que é aparente e não para o invisível pela fé. Para que tenhamos uma visão correta, o Senhor proveu para a Igreja os profetas. São eles que abrem a nós esta visão: "Não havendo profecia, o povo perece..." Provérbios 29.18.

Para nos dar uma visão correta o Senhor sempre nos faz voltar ao princípio, e depois nos faz olhar para Jesus. Foi assim que os antigos alcançaram um bom testemunho pela fé (Hebreus 11.2).

No livro de Ageu, no capítulo 2, o Senhor nos dá pela Sua Palavra, uma direção abençoada para direcionarmos a nossa visão, no que diz respeito à Igreja.

Ageu foi um desses profetas levantado por Deus, juntamente com Zacarias no tempo da restauração do templo de Israel. Ainda que o Senhor estivesse falando do templo de Israel, a referência de Deus para o povo não era o templo, mas a Igreja gloriosa como veremos a seguir.

Quando no verso 9 o Senhor manda o povo pela fé olhar para a glória da última casa, é claro que Ele estava dizendo de nós. Deus estava falando de Cristo Jesus e da Sua Casa que Ele mesmo edificou (Hebreus 3.6), por isso podemos fazer uma referência a esta Casa.

Fazendo então uma alusão ao verso 3 de Ageu capítulo 2 o Senhor nos pergunta: Quem viu a glória da primeira Casa, da Igreja primitiva? Podemos vislumbrá-la pela fé olhando para as Escrituras, e a podemos ver com ouro, prata e pedras preciosas (I Coríntios 3.13). E que estado nós a vemos agora? Olhando para a cristandade nos nossos dias não é nada, como diz o Senhor, aos nossos olhos?

Se olharmos desta forma iremos chorar como os judeus por não podermos mais restaurar e viver aquela glória. E jamais a poderemos em sua totalidade, visto que o Senhor nos ensina isto pelas 4 igrejas de Apocalipse, que Ele encontrará quando voltar: Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia.

Hoje encontramos os cristãos em muitas situações diversas, mesmo entre aqueles que dizem estar na visão. Uns preferem as reuniões em lares e outros em templos com certa organização equilibrada pelas Escrituras.

Se olharmos para isto, iremos continuar confundidos, mas o Senhor restaura a nossa visão pela profecia, e nos faz olhar para Jesus e para a glória da última casa. O Senhor tira os nossos olhos do que é aparente e faz que olhemos para Jesus, autor e consumador da nossa fé, e nele vermos uma Igreja gloriosa, sem mácula nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível: "E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente" Apocalipse 21.10-11.

Então o Senhor estimula a todos nós dizendo pelo verso 4: "Esforça-te, esforçai-vos todos vós, e trabalhai; porque eu sou convosco... o meu Espírito habita no meio de vós, não temais". Aleluia! No verso 8 Ele ainda diz: "Minha é a prata, e meu é o ouro, diz o Senhor".

As operações de Deus (ouro), os ministérios do Senhor (prata) e os dons do Espírito (pedras preciosas) não nos faltarão. Não faltará nada, porque o fiel Senhor o disse, o qual também o fará (I Tessalonicenses 5.24). A glória dessa última Casa será muito maior do que a primeira, diz o Senhor.

Ainda que tenhamos muitas diferenças, temos que voltar os nossos olhos para esta última Casa. Seguirmos para o que é perfeito, e o caminho é o amor: "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição" Colossenses 3.12-14.

 

22/04/2009

VIDA MISSIONÁRIA



Recebi este e-mail lá da África, e achei tão belo, falou ao fundo do meu coração missionário, que resolvi compartilhá-lo aqui, com meus amigos que compartilham das dores daqueles que levam a semente...ora cantando...ora chorando...mas prosseguindo rumo ao maravilhoso alvo.

Obrigado, minha amada irmã. Que Deus continue a fortalecer teu ministério em todos os sentidos da vida cristã. Que o Espírito a cada dia te mostre a beleza da vida missionária em nome de Jesus.

Um presente meu para a irmã :

Altar
Faz de ti, uma festa de palavras de paz
Para que todos os que ouvirem o som da tua voz
larguem suas armas maliciosas

Faz de ti, uma fonte de missões claras
Para que os teus caminhos sirvam de exemplo
que tornem as pessoas graciosas

Faz de ti, uma serva obediente
Para que todos os que verem a firmeza da tua fé
Sigam a Deus racionalmente

Faz de ti, uma boa história de amor
Porque o mundo crê mais na dor
Para que o teu testemunho
seja um agente transformador

Faz de ti, uma chuva de verdades
Para que os que te ouvem
não se convertam em frutos verdes

Faz de ti, uma música suave
Para que a voz do teu louvor dê
Esperança em quem vive na intimidade de uma caverna

Faz de ti, uma sincera poesia
Para que nos teus versos
se encontrem os factos que Jesus predizia

Por: Shunnuz Fiel
09/04/09

Obs:Senti mostrar-te esse pensamento.


Obrigada Shunnuz!

Alzira Sterque

21/04/2009

POR QUE SE CANSAR À TOA?

 090201lenny_homepalm208

Por Daniel Figueiredo
Por vivermos em um mundo perdido, temos problemas. Todos nós, sem exceção! Mas falando a verdade, o problema real está na forma como lidamos com eles! Inevitavelmente, tentamos resolvê-los com nosso próprio poder. Quer saber se está tentando resolver tudo da sua própria forma, com suas próprias forças?
R= Ficamos cansados o tempo todo! Um homem frustrado com sua falta de poder para resolver seus problemas sintetizou sua frustração em uma frase dizendo: “Estou doente e cansado, de tanto estar doente e cansado”. É assim que nos sentimos quando tentamos resolver tudo por conta própria. Deus quer que paremos de tentar. Isso mesmo! Quer que desistamos dos problemas e comecemos a confiar a Ele todos eles!
Não importa a situação, Deus pode revertê-la!!!!!
Não importa a desesperança que a vida pareça oferecer, Deus produz esperança. O mesmo poder que capacitou Jesus Cristo a ressuscitar dentre os mortos vai permitir que você se levante acima dos seus problemas.
Em Atos 4 temos o registro da primeira oposição séria à pregação do evangelho que os apóstolos faziam em Jerusalém. Quando as autoridades os ameaçaram, eles se reuniram e oraram. Observe por que motivos oraram. Não pediram a Deus que impedisse a oposição, mas que lhes desse ousadia sobrenatural para enfrentá-la (4.29).
ELE DEU(4.31)!!!

FONTE: Visão Integral

O MAIS IMPORTANTE É A IGREJA

528796239_399aa47ee6_m

Por: Dom Robinson Cavalcanti (Revista Ultimato)


A Igreja é o que de mais importante existe no mundo. Criada pela vontade de Cristo, ela é a agência da salvação, ensaio e vanguarda da nova humanidade. Deus havia chamado Israel (obediente “versus” desobediente), e no passado nos falou pelos profetas, guardiões da lei. A função e o “status” de Israel -- a antiga aliança -- cessaram quando o véu do templo se rasgou. Hoje o judaísmo e o islamismo são apenas religiões semíticas monoteístas. A Igreja é o novo Israel, a nova aliança, e, como nos ensina Pedro, herdeira dos títulos e atributos do primeiro Israel: geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de Deus. Entre o antigo e o atual Estado secular de Israel (formado por 90% de ateus e agnósticos) só há em comum a geografia e as mirabolantes teorias de alguns protestantes. Os judeus (e todos os povos) devem ser enxertados no novo povo, porque não há salvação em nenhum outro nome senão o de Jesus.
A crise da Igreja é resultado da sua baixa autoestima, da falta de autocompreensão e conhecimento não somente sobre sua missão, mas também sobre sua natureza e organização -- uma crise de identidade em razão de uma ruptura com sua história, suas raízes. Como povo-instituição de Deus, a Igreja é mais importante do que a família biológica ou adotiva, do que o mundo do trabalho e do lazer, do que o Estado ou qualquer expressão da sociedade civil. Ela é portadora única do sentido para as demais coisas -- o evangelho e o poder do Espírito Santo -- e é nela onde se convive não somente para o tempo, mas para a eternidade. A Igreja não é apenas suas expressões localizadas: as comunidades locais, as tabas religiosas com seus caciques ou as casas de shows para expressão das fogueiras da vaidade. A igreja vive hoje em pecado porque desobedece aos dois princípios basilares a ela destinados pelo seu fundador e Senhor: a unidade e a verdade. O cisma (divisão do corpo) deixou de ser considerado um grave pecado pelo desordenado denominacionalismo; a heresia deixou de ser considerado um grave pecado pela crescente e ilimitada “diversidade” e “inclusividade”. Os cismas são heresias, e as heresias são cismas. Essa tragédia se transformou em rotina ante a indiferença de todos.
“Denominação” é uma palavra que não se encontra nas Sagradas Escrituras nem na obra de nenhum autor relevante da história do pensamento cristão antes do século 18. Não é um termo teológico, eclesiológico, mas apenas sociológico, administrativo, jurídico, humano, corrente nos últimos duzentos anos a partir da realidade da “livre empresa” e do “‘self-service’ religioso” norte-americano. Quando a Igreja una, santa, católica, apostólica e reformada dá lugar a uma miríade de “denominações” ou “ministérios”, o evangelho é parcializado, a missão é mutilada e vivemos na carne, por mais piedoso e espiritualizado que seja o nosso discurso. Afirmar que “Deus me mandou criar um novo ministério” é uma blasfêmia.
A Reforma Protestante foi um dos capítulos mais importantes da história da Igreja, mas o seu desdobramento em correntes extremadas fez com que o bebê fosse jogado fora junto com a água do banho. Ela preocupou-se com a autoridade (das Escrituras) e com a salvação (pela graça mediante a fé em Jesus) e se descuidou da eclesiologia, do estudo da própria Igreja. A instituição que deveria garantir a preservação dessas verdades logo foi atropelada pelo racionalismo liberal ou pelo literalismo fundamentalista. O livre exame, de livre acesso e investigação, deu lugar à livre conclusão. Ao contrário da criação, a Igreja se tornou sem forma e vazia. A releitura das Escrituras pela burguesia europeia, 1600 anos depois, fez os congregacionais tomarem o embrião e os presbiterianos tomarem o feto como se já fosse o ser nascido (institucionalizado) -- fato que a história atesta ter acontecido (muito cedo) somente com a consolidação do episcopado. Por sua vez, a pretensão da Igreja de Roma (e de alguns ramos da ortodoxia oriental) de ser “a” Igreja, em uma visão monocêntrica da história, não faz justiça à verdade policêntrica das sés e dos patriarcados deixados pelos apóstolos em diversas regiões. Foi no Oriente que viveu a maioria dos Pais da Igreja e onde aconteceram todos os Concílios da Igreja indivisa (responsáveis pelo consenso dos fiéis); ainda assim, 1.200 anos de história da Igreja no Oriente (períodos bizantino, pré-calcedônio, pré-efesiano ou uniata) representam apenas algumas notas de rodapé ou algumas linhas nas obras dos historiadores católicos romanos ou protestantes (“anabatistizados”). Ficamos vulneráveis com essa lacuna, em uma época de desprezo pelo passado e de arrogância individualista e imediatista. A universalidade da Igreja, com a multiforme manifestação da graça de Deus em todo o mundo, é mutilada pela hipervalorização (quase exclusiva) do que nos vem do império do momento. Como foi mesmo a definição do cânon bíblico, das doutrinas dos credos, dos sacramentos e do governo episcopal?

FONTE: Lucas e o elan vital: O MAIS IMPORTANTE É A IGREJA

17/04/2009

CLODOVIL E A HOMOSSEXUALIDADE

 1014212945_760c751d30_m

Pr. Gilson Bifano

Faleceu no dia 17 de março o deputado Clodovil Hernandes, que foi uma personalidade muita conhecida no Brasil. Estilista e apresentador de televisão, ele ficou mais conhecido por suas declarações controvertidas e por assumir publicamente sua homossexualidade.

O que sempre me chamou a atenção em Clodovil não foi a sua homossexualidade, mas suas posições em relação ao movimento homossexual. Por incrível que pareça, o movimento gay nunca pode contar com Clodovil em suas campanhas e passeatas.

Certa vez ao participar de uma manifestação liderada pelo movimento gay ele foi vaiado por defender a família e ter declarado que todos deveriam buscar a Deus. Na ocasião ele até citou o valor da heterossexualidade porque sem ela ninguém ali presente teria nascido

Recentemente, uma entrevista publicada na revista Veja, feita poucos dias antes de sua morte, o reporter perguntou: “Por que o senhor não apresentou nenhum projeto defendendo o direito dos homossexuais?”

Clodovil respondeu: “Deus me livre. Quais direitos? Direito de promover passeata gay? Não tenho orgulho de transar com homem. O primeiro homem que eu vi transando com outro foi meu pai — era o meu tio, irmão da minha mãe. Eu tinha 13 anos. Foi num domingo, depois da missa. Sentei no chão e pensei: meu Deus, minha mãe não é amada por ninguém. Meu pai nunca soube que eu vi. Quando ele me perguntou dois anos depois se eu era gay, não respondi. Nunca mais se falou sobre isso lá em casa. Mas eu podia ter dito o diabo para ele”.

É por isso que o movimento gay nunca pode contar com Clodovil para defender suas nefastas posições.

É uma pena que Clodovil nunca tenha tido força para superar seus traumas familiares adquiridos na infância — traumas que tiveram um grande impacto na formação de sua sexualidade.

Foi forte ele dizer que não tinha orgulho de ter relações sexuais com homens, mas podia ter ido além e resgatar (com lutas, é claro) sua heterossexualidade. Ele procurou ver a questão heterossexual de outra forma. Quando soube que estava com câncer de próstata ele afirmou: “Acho que aquilo aconteceu como uma forma de eu tentar me redimir da minha homossexualidade”. Uma leitura errada, mas que nos abre uma janela para entender seus conflitos internos.

Quando lemos essas e outras declarações só podemos fazer crescer nossa posição de entender, amar e ajudar aqueles que lutam com as questões da homossexualidade.

Por outro lado, tais declarações nos ajudam entender o que está por detrás daqueles que vivem na homossexualidade.

Como igreja não podemos, de forma alguma, discriminar pessoas que vivem na homossexualidade, mas amá-las profundamente.

Entender questões envolvendo a homossexualidade é um dos grandes desafios da igreja nos dias de hoje. Certamente, as declarações de Clodovil hão de contribuir para uma ação da igreja, seja no processo da formação da identidade sexual como no processo de ajudar àqueles que desejam resgatar a heterossexualidade.

Fonte 1 : ClickFamília

fONTE 2: Julio Severo

15/04/2009

É SÓ COM O NOME DELE QUE SE IMPORTAM

 1212425220HW5Y7A

É um belo sonho; faz-me sorrir. Você não conhece os cristãos. Você recusa-se a conhecê-los. O orgulho dessa gente não está em serem homens, mas em serem cristãos. Até mesmo àquilo de humano que sentiu e ensinou o seu Fundador, e deixou a fim de temperar a superstição encontrada por eles, não dão valor, porque trata-se de algo humano, agradável e benéfico para o homem; estimam-no apenas porque foi Cristo quem ensinou, Cristo quem fez. Basta-lhes que ele tenha sido homem tão bom; basta-lhes que tomem por certo a bondade dele, e nas virtudes dele coloquem a sua confiança. Não são as virtudes dele, mas meramente o nome dele que desejam impingir sobre nós. É o nome dele que desejam ver espalhado pelo mundo, de modo a engolir o nome de todos os homens de bem, e vilipendiar a virtude dos mais notáveis. É só com o nome dele que se importam.


A muçulmana Sittah expondo o projeto cristão ao judeu Nathan, o sábio.
Ephraim Lessing, escrevendo em 1779.

FONTE: PavaBlog

14/04/2009

MUDANDO RADICALMENTE DE VIDA…

 

Gerente do tráfico muda vida e testemunha na revista americana Newsweek

Demétrio sobreviveu à metralhadora, mas não resistiu à ação de Deus na sua vida. Por Paulo Cezar Soares

De repente, ele fica frente a frente com policiais encapuzados em uma das ruelas da favela do Morro do Alemão, um complexo de uma dezena de favelas no subúrbio da Leopoldina, Zona Norte do Rio, ocupada por diversos policiais à procura de armas e drogas, e é atingido por duas rajadas de metralhadora. A madrugada de 4 de junho de 1992 ficará para sempre gravada na memória de Demétrio Martins, 31 anos, quando livrou-se da morte, mas ficou paraplégico. Era o fim da sua participação no tráfico de drogas.

Começou a fazer parte desse mundo aos 15 anos. No início, seu trabalho consistia em embalar a cocaína, mas aos poucos foi se envolvendo de forma mais intensa, até ser promovido a gerente geral, homem de confiança do traficante Orlando Jogador, morto em 1994. Convertido ao Evangelho há sete anos, tornou-se um missionário. Congrega na Assembléia de Deus, no bairro de Inhaúma, e sua história foi tema de capa da revista Newsweek, uma das mais importantes do mundo.

Viatura - Abandonado à própria sorte pelos policiais, foi socorrido por um morador local e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso e depois transferido, a pedido do traficante Orlando Jogador, para uma clínica. Ao todo, foram 47 dias de internação. "Naquela hora vi a morte de perto e clamei a Deus, que me enviou um socorro, o irmão Devair, que segurou na minha mão e disse que eu não iria morrer", conta Demétrio, que se fingiu de morto e ouviu tudo o que os policiais falavam. "Depois de pegarem meu dinheiro e as drogas que estavam no bolso da jaqueta, um deles falou: vamos embora e depois a gente volta com uma viatura para resgatar o corpo", ressalta.

A partir do momento que retorna para a sua casa no Morro do Alemão, onde foi criado, passa por momentos de sofrimento e dificuldades. Imobilizado numa cama, precisava do favor de alguém para fazer as coisas mais simples, como ir ao banheiro e pegar um copo de água. Ficava pensando na sua fase de poder no morro, com dinheiro no bolso e temido pelas pessoas. "Ganhei muito dinheiro, mas com a mesma facilidade que ganhava, gastava". Além disso, ainda enfrentou a perseguição do policial que o baleou, que trabalhava no posto comunitário do morro. A depressão foi aos poucos tomando conta, a tal ponto que Demétrio tentou o suicídio.

Um dia, um grupo de evangelistas estava fazendo um trabalho na favela e resolveu bater na sua porta. Falaram sobre Jesus e o convidaram para ir na igreja. Aceitou o convite e foi. A seu modo, começou a conversar com o Senhor, dizendo que gostaria de se converter, mas queria ver mudanças na sua vida. À tarde foi de novo para a igreja e sentou no último banco.

Visão espiritual - Terminado o culto, as pessoas já estavam saindo, quando uma irmã se aproximou de Demétrio e lhe disse: "Aquela metralhadora não te matou porque o Senhor estava naquele lugar. Você vai passar uma provação, mas não temas porque Ele está contigo. Teus amigos morrerão porque têm o coração endurecido para Deus, e aqueles que te abandonaram, Deus os levará até você. Abra o teu coração e pregue", concluiu a irmã.

"Naquela noite aceitei o Senhor e ganhei uma Bíblia. Três dias depois, pela manhã, colegas do tráfico estiveram na minha casa para fazer uma visita", relembra. Nessa hora, Jesus tocou o seu coração com a mensagem: "Abra a tua boca e coloque um disco". Assim foi feito. Depois que todos foram embora, um deles retorna, tendo ao lado o gerente do tráfico que tinha ficado no lugar de Demétrio, que, cumprindo mais uma vez o que Deus havia ordenado, prega o Evangelho, e o gerente se converte, juntamente com a mulher.

Cada vez mais firme nos caminhos do Senhor, passa a receber convites de diversas igrejas para pregar e contar o seu testemunho. Em uma delas - Casa da Bênção -, conhece Marta da Rocha Martins, 32 anos, com quem se casou em novembro de 99. "Estava afastada da igreja há 12 anos. Quando voltei, Demétrio foi pregar, começamos a namorar e acabamos nos casando", conta Marta, que em todos os momentos está sempre ao lado do marido.

Agora, quando Demétrio passa pelas ruelas da favela, onde nasceu e continua morando, ninguém fica com medo. As pessoas sabem que ali está um homem transformado que, pelo poder sobrenatural de Deus, abandonou as armas para pregar a Palavra de Deus.

FONTE: Inteligência Espiritual

E POR FALAR EM FALTA DE EDUCAÇÃO…

 thumbnailCA529VOE

Tem uma mania que está se consolidando entre nós: deixar de responder e-mails. Você envia uma mensagem para alguém e esse alguém simplesmente não se dá o trabalho de lhe responder. Não diz nem que sim nem que não. E você não sabe se o sujeito recebeu, se leu e deletou, se deletou sem ler, se leu e entendeu o que estava escrito, se achou legal ou se detestou. Isto é de uma deselegância sem fim. Equivale a deixar o interlocutor falando sozinho. Não responder a um e-mail enviado individualmente a você, assinado por alguém, é a mesma coisa que uma pessoa lhe dizer "Bom dia!", ou lhe fazer uma pergunta, e você ignorá-la solenemente, com se ela não existisse ou não importasse.
Não há desculpas para isso. Quantidade de e-mails? Todos temos que lidar com isso. E não toma mais de 20 segundos escrever duas ou três linhas dando algum tipo de resposta para o interlocutor. Mesmo que seja um "não", um "falamos daqui a 6 meses", um "é favor não me escrever nunca mais". Preferência pelo uso do MSN ou do Skype, ao invés do e-mail? Bem, avise o seu interlocutor que você considera o correio eletrônico uma tecnologia ultrapassada. Caixas lotadas de spam? Delete os spans. Mas trate corretamente gente de carne e osso como você, que tem dúvidas, interesses e expectativas - inclusive de conseguir entabular um diálogo com outro ser humano, por mais curto que seja. A tecnologia existe para tornar os contatos entre as pessoas mais eficientes e mais aprazíveis. Não pode justificar a grossura e a insensibilidade.

Adriano Silva, no Portal Exame

FONTE: PavaBlog

12/04/2009

SEITAS E HERESIAS: O QUE É A MAÇONARIA?

  2283725372_930590b9c1_m

 Pr. Joaquim de Andrade
Introdução:
A Maçonaria sempre fez grande alarde para engrossar suas fileiras. A fim de alcançar seu objetivo com mais facilidade, usa de palavras grandiosas, esconde sua verdadeira fisionomia e mostra ao público tão somente um rosto mascarado. Toma aparências de sociedade literária, científica, filantrópica etc.
Os maçons que estão dentro das igrejas não querem admitir que ele seja condenável pela Bíblia e por isso julgam poder ser maçom sem nenhum pecado. Para lhes mostrar e demonstrar o seu erro há dois caminhos:

A Bíblia;

A Maçonaria em si mesma.

Durante muitos anos não tínhamos praticamente nada escrito denunciando os erros da Maçonaria, hoje graças a Deus temos 5 livros sério escritos por pesquisadores equilibrados e conceituados nos meios tradicionais (reduto dos maçons na Igreja) que denunciam abertamente as aberrações desta organização.

História da Maçonaria:

· Maçom ou franco maçom: pedreiro.
· Início em 24 de junho de 1717, em Londres, Inglaterra.
· Fundadores: dois pastores - James Anderson (anglicano) e Jean Theophile Desaguiliers (huguenote).

Sociedade de beneficência ou sociedade religiosa?

· Alegação de ser sociedade secreta não religião: templos, ritos, orações, castigos/recompensas.
· Ocultismo na maçonaria: cabala, numerologia, astrologia, mitologia (Dt 4:19; 18:9-12).
· Religião ecumênica: aceita pessoas de todas as crenças (Gn 4:3-7; Am 3:3).

Ensinos religiosos

O uso da Bíblia

· As três grandes luzes; a da Bíblia, a do esquadro e a do compasso.
· A Bíblia como símbolo da vontade de Deus e objeto de decoração da loja.
· A Bíblia ao lado de livros pagãos: Alcorão, Vedas, Tripitaka, Livro de Mórmon (2 Tm 3:16; I Ts 2:13).
· O uso da Cabala na interpretação da Bíblia.
· Cabala: interpretação oculta que os rabinos davam à Bíblia (2 Co 11:3; Pv 30:5-6).

O G.A.D.U. (Grande Arquiteto do Universo) - quem é ele?

· G.A.D.U. designa qualquer deus (Tg 2:19)
· O exemplo eclético de Salomão (I Re 11:5-7)
· O nome secreto no Rito Real Arco de Iorque (Jahbulom)
· Jah: Jeová
· Bul: Baal Peor
· Om: o deus sol dos egípcios ou Osíris

Refutação: Is 42:8; Sl 115:3,4,.

Jesus Cristo
· Um fundador de religião igual a Krishna, Maomé, Pitágoras, etc.
· Pregou a mensagem da verdade única: todos somos filhos de Deus e Deus é o Pai de todos
· Seu nome é eliminado nas orações e leituras das Escrituras na loja (Ex.: I Pe 2:5; II Ts 3:6; 3:12)
· É proibida toda discussão sobre ele nas atividades da loja.

Refutação:
· Jesus é verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Jo 1:1;14; Is. 7:14; Mt 1:21-23)
· O próprio Jesus ensinou que devemos orar em seu nome (Jo 14:13,14)
· A maçonaria se envergonha do nome de Jesus. Este nos mandou pregar o Evangelho e todas as pessoas e disse que se alguém se envergonhar dele, ele também se envergonhará de tal pessoa (Mt 28:19; Mc 16:15; Mt 10:32,33)

A Ceia Mística
· Realizada na quinta-feira da semana santa
· Participantes: os "irmãos" de 18º a 33º grau
· Forma da sua realização:
· Palavras proferidas: "Comei e dai de comer aos que tem fome" e "bebei e dai de beber aos que tem sede".

Refutação: Mt 26:26-28; I Co 11:23-26.

Salvação pelas obras

· Objetivo da maçonaria: "Cavar masmorras ao vício e levantar templos à virtude".
· O profano e a cerimônia de iniciação.
· O uso do avental e seus significados (pureza de vida e conduta, de coração e consciência).
Refutação: Ef 2:8-9; Rm 3:23-24; 11:6; Gl 5:4; cf. Rm 10:1-3.

O patrono
· São João Batista e o Evangelista, João Marcos e João da Escócia. Conclusão:
Não é possível ser cristão e maçom ao mesmo tempo. Existem pelo menos três razões pelas quais o cristão não deve tornar-se maçom, ou, em sendo, renunciar à maçonaria:

1. Mordomia do tempo.
2. Mau exemplo (causar escândalo aos irmãos).
3. Os ensinos antibíblicos da maçonaria.

Apêndice:
O juramento Maçon
"Eu, _______________________, juro e prometo, de minha livre vontade, pela minha honra e pela minha fé (...) nunca revelar qualquer dos mistérios da Maçonaria... Se violar este juramento, seja-me arrancada a língua, o pescoço cortado... sendo declarado sacrilégio para com Deus (...) " (ênfase acrescentada)

1.1. Objeções a esse juramento

·         O juramento é proibido por Jesus (Mt 5:30; confira Tg 5:12)
·         Nosso corpo pertence a Deus e não pode ser entregue a uma sociedade secreta de caráter mundano (I Co 6:19-20)
·         Esse juramento estabelece uma sociedade/fraternidade indissolúvel de crentes com fiéis (II Co 6:14-17)
·         Até mesmo no Antigo Testamento já se proibia a promessa de guardar segredos que ainda se ignora (Lv 5:4)

Blasfêmia:
Os maçons apropriam-se em seus rituais de títulos e ofícios que pertencem exclusivamente a Deus: Eu sou o que sou, Emanuel, Jeová e Adonai.
Trata-se, evidentemente, de blasfêmia, que a Palavra de Deus condena (Êx 20:7).


Os Landmarks
São considerados como as antigas leis que regem a Maçonaria universal, três deles são fundamentais:

1. A paternidade universal de Deus.
2. A fraternidade universal dos homens.
A crença na imortalidade da alma.
[por isto querem dizer que Deus, sendo Pai de todos, salvará todos seus filhos, nenhum sofrerá eterna-consciente-terrivelmente]

Refutação:

A Bíblia ensina que Deus criou todas as criaturas (Gn 1:26;27), porém afirma que o privilégio de ser seu filho é reservado apenas que aceitam a Jesus Cristo como Salvador (Jo 1:12; Gl 4:4-6; Rm 8:14-16)

A Maçonaria e a Igreja
No princípio da obra evangélica no Brasil, a maçonaria apoiou mediante sua força política econômica, a implantação de alguns grupos protestantes, como os batistas e os presbiterianos no país. Esse apoio ajudou os pioneiros protestantes a conquistarem um espaço numa cultura predominantemente romanista. Significa isto, entretanto, que o apoio da maçonaria teria sido indispensável ao sucesso das igrejas protestantes, ou poderia Deus ter usado outros meios como seus instrumentos? A Bíblia está repleta de exemplos de como Deus utilizou pessoas incrédulas para o cumprimento de seus propósitos em relação ao seu povo. (Is 45:1-4; Jr 25:9; 27:6-8).

fonte: Vida com DEUS - Seu futuro está escrito nas estrelas?

SEITAS E HERESIAS: O QUE É A CIÊNCIA CRISTÃ (Eddyismo) SOB AS LUZES DAS ESCRITURAS

VY0U31CA1YK3ZDCAM8QBKSCAZ8IEJYCA8KZ37ZCA1CDD1TCAFVOUATCAADTOUCCAADZG9KCA4OZT1HCA30G8D7CAEM3J0PCA1L95AECAFK366QCAWZ6RRICA9I2RJQCANYI641CAI73HCHCAUHX3WN  358085225

Temos que nos precaver das seitas e heresias. EIS AQUI OS ERROS MAIS COMUNS DA RELIGIÃO DENOMINADA CIÊNCIA CRISTÃ:

1. ERROS:


a. “CRISTO NÃO É DEUS, foi igual a nós.”

Joã 1:1-3,10,14; 10:30; 14:7-9; Fp 2:6; Isa 9:6; Heb 1:2; Col 1:16.

b. “O HOMEM É PERFEITO, NÃO HÁ PECADO:

“Cada homem não "será", mas já "é" tão perfeito e imortal quanto seu pai celestial. Não houve queda, não há pecado real nem condenação eterna, não há nem precisaria haver morte propiciatória, nem novo nascimento”

Isa 53:6; Jer 17:9; Sal 51:5; Rom 3:9-12; 3:22-23; 1Tim 1:15.

c. “MARY BAKER EDDY É O CONFORTADOR prometido.”

João 14 já se cumpriu há séculos, em Pentecostes. Desde então cada crente tem o Espírito Santo habitando em si:

1Cor 3:16-17; 6:19-20; 2Cor 6:16; Rom 8:9.

Mary contradiz Deus (vide letras a até g), portanto, nunca teve o Espírito Santo.

d. “COMPLETAMOS A BÍBLIA:”

”Os livros da Sra. Eddy são pura revelação inspirada por Deus.”

Apo 22:18-19; Pro 30:5-6; Deu 4:2; Isa 8:20.

e. “O DIABO NÃO EXISTE.”

Jó 2:2; Luc 4:8; Ato 5:3; Apo 12:9; Mat 4:1-11.

f. “O INFERNO NÃO EXISTE.”

Jesus pregou 22 vezes (diferentes!) sobre o inferno, 4 vezes mais que sobre o céu! O N. T. menciona o inferno 169 vezes!

Mat 3:12; 18:8-9; 25:41; Luc 16:23-24; 2Ped 2:4,9; Jud 6-7.

g. “Mas nós fazemos muitas CURAS.”

O Diabo e seus demônios enganam, podem vir como anjos de luz:

2Cor 11:13-15; Mat 12:43-45; Êxo 7:10-12; Mat 7:22-23.

Uma mente animada, algumas vezes, ajuda a curar o corpo (efeito placebo ou psico-somático).
Deus pode responder orações de ingênuas e sinceras pessoas (muitas não salvas, algumas talvez até salvas) no meio das falsas seitas.

2. COMO LIDAR COM ELES (Os Cientistas Cristãos):


a. Sempre esteja preparado:

2Tim 2:15; Rom 3:19; 1Ped 3:15.

b. Se eles “atacarem sua casa”, “em missão,” explique-lhes amorosa mas muito firmemente que a maldição de Apo 22:18-19 pesa sobre eles (pois adicionaram e subtraíram das Escrituras), e seu amor a Deus lhe proíbe receber o erro em casa:

Gal 1:8-9; 2Joã 10-11.

Ofereça-se para (com irmão maduro) falar de Cristo, a cada um deles, em separado, num local neutro.

c. Numa oportunidade de falar a um Cientista Cristão não “em ataque”:

- Concentre-se em apresentar o plano de salvação, como Deus lhe orientar (uma possibilidade:


1Joã 1:8-9
; 2Ped 3:9; Efe 2:8-9; Rom 10:8-11).

- Responda (sem irritar-se) às objeções (mas aferre-se, não passe para outro assunto antes dele aceitar a divindade de Cristo!) e volte rapidamente ao plano de salvação.


Hélio de Menezes Silva, 1994.


FONTE: http://solascriptura-tt.org/ Seitas/

10/04/2009

Para pensar…

 09

Nunca   se esqueça  de que existem quatro coisas na vida que não se recuperam mais :
A pedra - depois de atirada;
A palavra - depois de proferida;
A ocasião - depois de perdida:
O tempo - depois de passado


1. FAÇA A SUA PARTE E DÊ SEM ESPERAR EM RECEBER NADA EM TROCA.

2.CASE COM ALGUÉM QUE VERDADEIRAMENTE DEUS ESCOLHEU PRA LHE FAZER FELIZ,ALGUÉM QUE LHE COMPLETE,ALGUÉM QUE VOCE SE SINTA BEM E AME;POIS Á MEDIDA QUE VOCÊS FOREM ENVELHECENDO,VOCE APRENDERÁ QUE O COMPANHEIRISMO E O VERDADEIRO AMOR,ESTÃO ACIMA DA PAIXÃO E DO SEXO.

3.ACREDITE EM TUDO QUE VOCE ESCUTAR, MAS CONFIAR CEGAMENTE SÓ EM JESUS CRISTO.
NÃO SEJAS FALSO(A) E NEM TÃO POUCO SE COMPORTE COMO UM ALGUÉM INÚTIL ,QUE NÃO É FELIZ E NEM DEIXA NINGUÉM SER;QUE NÃO SABE PRESERVAR AS AMIZADES,E AINDA POR CIMA TRAI O SEU PRÓXIMO , SE COMPORTANDO COMO JUDAS ESCARIOTES QUE TRAIU A JESUS CRISTO.

4.LEMBRE-SE DAS PALAVRAS DO CRISTO:"AME O PRÓXIMO,COMO A TI MESMO" E " AI DAQUELE QUE FIZER TROPEÇAR UM DESTES MEUS PEQUENINOS QUE FAZEM A MINHA OBRA,MELHOR SERIA QUE NÃO TIVESSE NASCIDO"

5.QUANDO ALGUÉM LHE PEDIR EMPRESTADO,NÃO DIGA QUE NÃO TEM,TENDO.NÃO DIGA QUE VOLTE AMANHÃ.VOCE APRENDEU E A PALAVRA ENSINA QUE: "É SIM,SIM.NÃO,NÃO.

6.APRENDA QUE VOCE DEVE SEMPRE ESCUTAR MAIS E FALAR POUCO,POIS SE FOSSE PARA ANDAR POR AI COMO UM TAGARELA,VOCE TERIA NASCIDO COM DUAS BOCAS,E UM SÓ OUVIDO.

7.ACREDITE QUE AMÕR DE VERDADE,SÓ SE FOR DE JESUS CRISTO;E QUE A PAIXÃO PASSA.ELA NÃO RESISTE AOS VENDAVAIS DA VIDA.O AMÔR TUDO SUPORTA,TUDO PODE ,POIS O AMÔR SUPERA O ÓDIO.

8.NUNCA RIDICULARIZE OS SONHOS DOS OUTROS.NUNCA SEJA PEDRA DE TROPEÇO NA VIDA DE SEU IRMÃO(A) QUE SONHA E ANELA POR DIAS MELHORES.

9.VIVA O AMOR INTENSAMENTE,E SAIBA QUE NO AMoR VALE A CERTEZA DO INSTANTE E NÃO A INCERTEZA E A FANTASIA DO AMANHÃ, QUE PERTENCE EXCLUSIVAMENTE A DEUS.

10.QUANDO VOCE NÃO ACEITAR ALGO,OU NÃO CONCORDAR COM ALGUMA COISA,FALE A VERDADE DOA EM QUEM DOER,MAS NÃO SE REBAIXE TANTO,SE TORNANDO UM FILHO DO INIMIGO,MENTINDO E TRAMANDO O MAL PELAS COSTAS DO SEU PRÓXIMO.

11.NÃO JULGUE NINGUÉM PELA FALA, ENSINO, COMIDA OU VESTES, MAS PELA RETA JUSTIÇA; SABENDO QUE TODO AQUELE QUE JULGA, SERÁ INFALIVELMENTE JULGADO PELO TRIBUNAL DIVINO,ONDE NÃO HÁ ARRUMADINHO, E ONDE NÃO CABE RECURSO APÓS A DECISÃO.ASSIM ESTÁ ESCRITO NA PORTA DA SALA DO JUIZ:NA VERDADE LHE AVISO QUE DE LÁ VOCE NÃO SAIRÁ, ENQUANTO VOCE NÃO HOUVER PAGO O ÚLTIMO CENTAVO.

12.NÃO SE APRESSE EM FAZER NADA.JÁ DIZIA MINHA VOVÓ:O APRESSADO COME CRÚ.

13.QUANDO ALGUÉM LHE PERGUNTAR ALGUMA COISA QUE VOCE NÃO SAIBA,NÃO ENROLE E NEM PERCA TEMPO,POIS TEMPO É VIDA A SER VIVIDA.

14. SEMPRE SE LEMBRE QUE POR TRÁS DE UM GRANDE HOMEM,EXISTE SEMPRE AS FIGURAS DE GRANDES PAIS.

15.DIGA SEMPRE:COM JESUS CRISTO É VENCER OU VENCER.

16.QUANDO VOCE QUISER VENCER NA VIDA,ESCUTE A VOZ DE DEUS E NÃO DESPREZE OS CONSELHOS DOS MAIS VELHOS.

17. SEMPRE SE LEMBRE DOS TRÊS A(S)
* AME A DEUS ACIMA DE TODAS AS COISAS!
* AME O PRÓXIMO COMO SE ELE FOSSE VOCE MESMO, * AME A VOCE MESMO,POIS ANTES DE VOCE QUERER SER AMADO,É PRECISO VOCE SE AMAR.

18. NÃO SEJA UM  PROBLEMA PARA VIDA DE NINGUÉM, SEJA UMA BENÇÃO, E NÃO UMA MALDIÇÃO.

19. SE VOCE ERROU,OU MACHUCOU ALGUÉM:NÃO PERCA TEMPO,IMEDIATAMENTE PEÇA PERDÃO.

20. É MELHOR VOCE FAZER MESMO DEPOIS DA SOLICITAÇÃO,DO QUE NÃO FAZER.

21. PREPARE-SE! JESUS CRISTO ESTÁ VOLTANDO,E OS SINAIS DA SUA VINDA ESTÃO AÍ.VOCE ACHA QUE O AQUECIMENTO, A TEMPERATURA GLOBAL EM VIRTUDE DO BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO É NORMAL? VOCE ACHA QUE ESTES ÚLTIMOS ATENTADOS CONTRA A SOBERANIA DA MAIOR POTÊNCIA DO PLANETA(EUA) É NORMAL?VOCE ACHA QUE ESTA CRISE FINANCEIRA GLOBAL,QUE TEM DESTRUÍDO VIDAS,SONHOS,FAMÍLIAS E PROJETOS,É NORMAL? TENHO UM RECADINHO PRA VOCE: NÃO SEJA UM QUASE CRENTE,POIS QUASE CRENTE: QUASE QUE ENTRA NO CÉU. E SE VOCE AINDA NÃO ENTREGOU SUA VIDA PARA JESUS CRISTO,FAÇA-O  AGORA MESMO.


Agora vem a parte divertida! Esta mensagem foi postada para proporcionar COISAS BOAS a você. Ele já correu o mundo dez vezes. Não conserve esta mensagem somente para si. ENVIE-A para  os seus amigos E  indique este blog (VER A FONTE).

FONTE: A Sós Com Deus

ALGUMA COISA MUDOU?

 thumbnailCA6VQXEE

A Carta a Diogneto foi escrita há 1900 anos atrás, e fala sobre a situação dos cristãos no mundo. Leia-a e reflita como  é viver os valores cristãos no mundo atual.

Carta a Diogneto (Século II)

Os cristãos não se distinguem dos demais homens, nem pela terra, nem pela língua, nem pelos costumes. Nem, em parte alguma, habitam cidades peculiares, nem usam alguma língua distinta, nem vivem uma vida de natureza singular. Nem uma doutrina desta natureza deve a sua descoberta à invenção ou conjectura de homens de espírito irrequieto, nem defendem, como alguns, uma doutrina humana. Habitando cidades Gregas e Bárbaras, conforme coube em sorte a cada um, e seguindo os usos e costumes das regiões, no vestuário, no regime alimentar e no resto da vida, revelam unanimemente uma maravilhosa e paradoxal constituição no seu regime de vida político-social. Habitam pátrias próprias, mas como peregrinos: participam de tudo, como cidadãos, e tudo sofrem como estrangeiros. Toda a terra estrangeira é para eles uma pátria e toda a pátria uma terra estrangeira. Casam como todos e geram filhos, mas não abandonam à violência os recém-nascidos. Servem-se da mesma mesa, mas não do mesmo leito. Encontram-se na carne, mas não vivem segundo a carne. Moram na terra e são regidos pelo céu. Obedecem às leis estabelecidas e superam as leis com as próprias vidas. Amam todos e por todos são perseguidos. Não são reconhecidos, mas são condenados à morte; são condenados à morte e ganham a vida. São pobres, mas enriquecem muita gente; de tudo carecem, mas em tudo abundam. São desonrados, e nas desonras são glorificados; injuriados, são também justificados. Insultados, bendizem; ultrajados, prestam as devidas honras. Fazendo o bem, são punidos como maus; fustigados, alegram-se, como se recebessem a vida. São hostilizados pelos Judeus como estrangeiros; são perseguidos pelos Gregos, e os que os odeiam não sabem dizer a causa do ódio. Numa palavra, o que a alma é no corpo, isso são os cristãos no mundo. A alma está em todos os membros do corpo e os cristãos em todas as cidades do mundo. A alma habita no corpo, não é, contudo, do corpo; também os cristãos, se habitam no mundo, não são do mundo. A alma invisível vela no corpo visível; Também os cristãos sabe-se que estão neste mundo, mas a sua religião permanece invisível. A carne odeia a alma, e, apesar de não a ter ofendido em nada, faz-lhe guerra, só porque se lhe opõe a que se entregue aos prazeres; da mesma forma, o mundo odeia os cristãos que não lhe fazem nenhum mal, porque se opõem aos seus prazeres. A alma ama a carne, que a odeia, e os seus membros; Também os cristãos amam os que os odeiam. A alma está encerrada no corpo, é todavia ela que sustém o corpo; Também os cristãos se encontram retidos no mundo como em cárcere, mas são eles que sustêm o mundo. A alma imortal habita numa tenda mortal; Também os cristãos habitam em tendas mortais, esperando a incorrupção nos céus. Provada pela fome e pela sede, a alma vai-se melhorando; também os cristãos, fustigados dia-a-dia, mais se vão multiplicando. Deus pô-los numa tal situação, que lhes não é permitido evadir-se.

Alzira Sterque

09/04/2009

COMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO?

 314895236_a84c9a31c3_m

O Tribunal de Cristo vai realizar-se logo após o arrebatamento da Igreja .
"Mas tu, por que julgas o teu irmão ? Pois todos havemos de comparecer perante o tribunal de Cristo" (Rom 14:10).
"Pois todos devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal" (2 Cor 5:10).

Neste julgamento todos os santos (crentes em Jesus) terão as suas vidas reveladas pelo Senhor num  lugar onde cada um verá aquilo que foi e fez neste mundo para, ou na Obra de Deus.
Isto é chamado a purificação da igreja. Tudo será trazido à mente e á presença das testemunhas: Os anjos e os santos.  As atitudes e negligências cometidas no ministério, a boa e a má administração dos bens espirituais, a boa ou má conduta cristã, tudo será sondado pelo Senhor.

Todo o céu presenciará este julgamento.

E Tudo  será revelado (Heb 4:12-13 ; Mat 10:26).(Porque sabemos isto, devemos habitar na plena luz que o Evangelho  nos concede. Falar a verdade e procurar cumprir com a vontade de Deus que se revela na Sua Palavra. Isso decerto trará galardão de glória para nós. Como diz Paulo:  "Se nós julgássemos a nós mesmos, não seriamos julgados" (1 Cor 11:31),

Ele vai recompensar todo o trabalho das nossas mãos e todo o nosso empenho demonstrado na honra do Seu Nome - ali naquele tribunal.
As obras dos santos serão todas provadas pelo fogo; ou seja, tudo será examinado.

Se as fizemos de boa vontade, receberemos galardão, mas se as fizemos com motivos de auto- benefício, nada receberemos.
Este lugar não será um tribunal condenatório, antes um lugar onde Cristo vai recompensar, ou não, aqueles que são Filhos de Deus. Ninguém poderá ser condenado porque o Juiz é também o nosso Advogado e Ele afirma que não há mais condenação para aquele que nEle deposita a sua fé. Rom.8.1 -  Heb.10.17 e João 3.18.

Cristo, o Juiz vai   lhe recompensar com coroas e galardões?

O que você tem feito na Obra de Deus:  a  sua vontade ou a Vontade Soberana de Deus?

08/04/2009

O QUE É MESMO E-VAN-GE-LI-ZAR?

 turning point

 

Se evangelizar é encontrar uma pessoa na rua e com toda cara de pau dizer "Jesus te ama" e dar as costas, eu não evangelizo.
Se evangelizar é tocar hino nas praças e ir para casa se achando o máximo, eu não evangelizo.
Se evangelizar é ir numa marcha para fazer propaganda de igreja e cantores, eu não evangelizo.
Se evangelizar servir para arrastar pessoas para igreja quando tem festinhas com comida e montar esquemas para ela se sentir bem-vinda somente naquele momento, eu não evangelizo.
Se evangelizar é entregar folhetos que serão jogados no chão e criará mais sujeira nas ruas, eu não evangelizo.
Se evangelizar é pregar com base para embutir culpa nas pessoas bombardeando-as com idéias de pecado e conseqüentemente o inferno para os maus e céu para os bons, eu não evangelizo.
Se evangelizar é convencer as pessoas a se protegerem do mundo dentro de uma igreja que acaba se tornando um bunker contra toda guerra espiritual e ofensivas do diabo, eu não evangelizo.
Se evangelizar é sistematizar o Evangelho, eu não evangelizo.
Agora se evangelizar é caminhar junto, estar presente na vida das pessoas, ser ombro amigo, chorar e rir em vários momentos, então eu creio que eu evangelizo.
Afinal entendo que o maior evangelismo de Cristo, foi estar ao lado, foi comer junto e presenciar toda a aflição e alegria do teu próximo.
Creio que evangelizar é sinônimo de relacionamento. O verdadeiro evangelho não é feito de seguidores e sim de amigos.
Portanto, se evangelizar é partilhar o pão nosso de cada dia, eu evangelizo.
Marco Finito, no blog Lion of Zion.

FONTE: PavaBlog